22 de dezembro de 2011

É Natal, é Natal, la, la, la, la...

Este ano, o meu espírito natalício anda um bocado hesitante. Ora ando toda contente e a cantarolar, ora ando sem paciência para as músicas e a desejar que acabe depressa. Como em tudo há dias melhores e dias piores e andava a stressar com as prendas que ainda faltam para preparar/comprar, mas parei um pouco para pôr as ideias em ordem e descobri que afinal não estou tão mal como pensava: já entreguei prendas, as que faltam entregar já estão mais ou menos controladas, a ementa já está decidida e com a ajuda das crianças vou terminar alguns pormenores. Penso conseguir ter tudo pronto a tempo e horas.
Ainda não entrei bem no espírito da época, por causa da quantidade de coisas a fazer em tão pouco tempo, mas assim que chegar a casa e começar os preparativos, sei que o espírito vai mudar.
Por isso e como sei que não vou ter tempo para voltar aqui, deixo já os meus votos de Boas Festas a todos os meus amigos e amigas virtuais e reais e a todas as pessoas que por aqui passam.


(imagem retirada daqui)

15 de dezembro de 2011

O Pai Natal existe?!?

O Daniel pediu ao Pai Natal uma Wii. Mas eu avisei que é melhor não contar muito com isso porque é muito cara. "Oh mãe, mas não és tu que vais comprar! O Pai Natal é que vai trazer!"
Ai filho, que desilusão vais ter este ano...

Dicionário da Sara

A Sara tem andado muito "ganhosa", está sempre a limpar o "naiz" ao "guiapo". Todas as noites, antes de "dumi" toma o "xiope" porque também tem muita "tochi". Ontem ao jantar foi uma alegria porque comeu muitos "doudadinhos" com "gos" e no fim comeu "maxãnjinha". Depois fomos ver os "cados dos". Para dormir quis o mickey "musso" . Outras noites leva a boneca Kitty que a avó fez e  os "comos" também da Kitty.
Não perceberam? Pois, cada mãe tem o seu próprio dicionário de filhos. Traduzo algumas mais difíceis: "guiapo"= lenço de papel ("pano"=guardanapo) "gos"= arroz; "cados dos"= Carros 2 (Faísca McQueen); "musso"= mouse; "comos"= cromos.

2 de dezembro de 2011

O bi-horário da EDP

Há uns anos, quando coloquei o aquecimento em casa, mudei para o bi-horário da EDP. Éramos só dois em casa e onde gastávamos mais era com o aquecimento. Claro que aproveitava para ligar a máquina da roupa no horário económico, mas não ligava assim muito às horas. Depois a família aumentou, comprei a máquina de secar roupa e passei a olhar com mais atenção às horas. Depois a família voltou a aumentar e a atenção  e o cuidado também, porque agora são mais máquinas de roupa para lavar e, eventualmente, para secar. Entretanto com o aumento do IVA, fiquei mesmo obcecada com os horários.
Sempre paguei por estimativa, mas agora mudei para a factura electrónica mensal e por causa dessa mudança descobri que o meu horário é diferente dos outros porque o relógio do meu contador está adiantado 1 hora. Ou seja, andava a desperdiçar 1 hora de horário económico e a gastar uma hora a preço normal, convencida que estava a poupar.
Também descobri que tenho mais consumo no horário económico do que no horário normal, apesar da hora de diferença e já recebi a 1ª factura: por causa dos acertos, este mês em vez de pagar, vou receber.
Admito que ainda não liguei o aquecimento. Preferi reforçar os cobertores e os pijamas e ligo um aquecedor na sala quando lá estamos, mantendo a porta fechada. Geralmente pouco depois do jantar os miúdos vão dormir, o pai vai para o escritório e a mãe vai acabar de arrumar o que falta, por isso não se justifica ligar o aquecimento na casa toda.
A máquina de secar roupa só é ligada em último caso. Se não estiver a chover estendo a roupa na rua e depois vai à máquina de secar só para dar o "entalão" final. Se estiver a chover então meto-a na máquina. Mas sempre no horário económico, claro.
Os bolos e assados no forno também passaram a ser coisas de horário económico desde que comprei um forno eléctrico.
Às vezes há excepções, claro, mas no geral o novo regime tem funcionado bem e, assim, espero continuar a poupar.

24 de novembro de 2011

Recebi por e-mail este pedido e como este fim-de-semana vai haver recolha do Banco Alimentar, acho que é oportuno:

"A Sicasal é uma empresa Portuguesa. Ontem (15/11/11) as suas instalações fabris foram parcialmente destruídas por um enorme incêndio, pondo em causa o emprego de 150 dos seus mais de 500 trabalhadores. No meio da tragédia, a Administração veio assegurar que ninguém seria despedido e garantiu que, nem sequer haveria perdas salariais dos seus trabalhadores.
Estes disponibilizaram-se, de imediato, para trabalharem, se necessário, 24 horas seguidas para ajudarem à retoma da produção e organizaram-se em grupos de segurança e de limpezas para obviarem uma paragem demorada da laboração da fábrica.
Que dois belos exemplos!...
Assim, surgiu a ideia de adquirirmos produtos da Sicasal e posteriormente entregar ao Banco Alimentar.
Não só ajudaríamos quem bem o merece, como quem bem o necessita.
Compra produtos enlatados da marca Sicasal e entrega-os no Banco Alimentar
As empresas têm sucesso, quando Administrações e trabalhadores estão todos focalizados no mesmo objectivo.
Apoiemos aqueles que merecem antes de mais a nossa consideração."



23 de novembro de 2011

Lá em casa, já há data marcada para montar a árvore de Natal: dia 1 de Dezembro. Depois, no dia 8, faz-se a decoração. Não percebi bem o raciocício mas não fui eu a marcar a data, foi o Daniel e ele lá tem as suas razões.
A verdade é que não gosto de decorar a casa muito cedo, ficam muito ansiosos e todos os dias perguntam (ele principalmente) quando é que chega o Natal. Antes de eles nascerem, só lá para o dia 15, 20 é que eu ia buscar as caixas de decorações, o pinheiro artificial, o presépio e decorava a casa. Agora, fazemos isso mais cedo. Mas como o Natal é quando o homem (ou a mulher e os filhos) quer, um dia destes arrasto-me pelo sótão para chegar às caixas...

15 de novembro de 2011

Hoje fui dar com a Sara em pé no meu quarto, a olhar-se ao espelho. Já estava pronta para sair de casa, de casaco vestido e olhava para o espelho com um arzinho sonhador. Perguntei se estava tudo bem. Respondeu "estou gira, mãe".
Mais palavras para quê?

11 de novembro de 2011

Se o Inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho

(imagem retirada da net)

E parece que assim é! Hoje é dia de chuva e de S. Martinho. Não se esqueçam de assar umas castanhas mais logo ou daqui a bocado. E se não gostam de castanhas assadas, não faz mal, preparem qualquer coisa e festejem na mesma.
Mais uma vez, na escola dos meus filhotes, vai haver magusto. Como eles continuam a não comer castanhas, mais uma vez levaram um bolinho. E qual foi? O de sementes de papoila!!
Acho que estou a ver o início de uma tradição!?
Bom dia de S. Martinho para vocês!!

4 de novembro de 2011

No dia 1 de Novembro também fomos ao Pão-por-Deus

Quando era criança, adorava ir ao Pão-por-Deus. Como morava na aldeia, conhecia toda a gente e nesse dia juntava-me às outras crianças a pedir o Pão-por-Deus. Era uma alegria completa quando nos davam doces e coisas boas (leia-se rebuçados, chocolates, etc) que nós não tínhamos habitualmente em casa. Corríamos a aldeia toda a bater às portas e ai de nós que deixássemos alguma para trás. Todos tinham qualquer coisa para nós, nem que fosse só uma peça de fruta. Lembro-me de um ano que me deram maçãs. Nesse ano recebi tantas maçãs. Também recebi outras coisas, mas a sacola era pequena, e eu também, e as maçãs enchiam-na e pesavam. Ainda hoje a minha mãe fala delas e de eu as ter deitado fora. Oh pá, eu era piquena e ainda mal tinha começado a volta e já não aguentava com o saco....
Quando vim morar para a cidade, ainda experimentei ir ao Pão-por-Deus. Mas já não tinha a mesma piada. Não conhecia as pessoas, não abriam as portas, é só prédios, desisti. Também, eu já tinha 10 anos, já era muito crescida para isso...
Desde que sou mãe, só vou ao Pão-por-Deus a casa da família e alguns amigos, porque têm sempre algum miminho para os meus filhos e levo também sempre qualquer coisa para retribuir.
Mas este ano fui com a criançada ao Pão-por-Deus. As minhas sobrinhas moram numa aldeia perto e convidaram o primo para ir com elas no dia 1. Claro que a Sara também quis ir. Sabendo de antemão que se ia cansar mais depressa que os outros, fui com eles. Começámos por ir buscar uma colega das minhas sobrinhas que mora um pouco mais acima e fizemos a primeira ronda por lá.
O Daniel nunca tinha ido ao Pão-por-Deus assim, a Sara muito menos. Para eles foi uma loucura. Lembrei-me tanto de quando era pequena como eles.. Assim que aprenderam a chamar "Pão-por-Deus!" não se calaram mais e eram os mais activos do grupo.
Para mim foi um alívio quando chegou a hora de almoço e me pude sentar. É que entretanto a Sara só queria colo porque as pernitas já não aguentavam a caminhada.
Como não tinham conseguido fazer toda a volta que tinham pensado, as minhas sobrinhas decidiram continuar de tarde. Mas desta vez, como era mais perto da casa delas, foram só os mais crescidos. Eu e a Sara ficámos em casa.
Agora tenho em casa um fornecimento de chocolates, rebuçados, gomas, chupas, amendoins, pevides, bolos secos e bolachas que não acaba.
Entretanto, e porque gosto de saber as coisas, fui pesquisar a origem desta tradição. Claro que há várias explicações. Mas a que eu prefiro é a que diz que remonta ao terremoto de Lisboa de 1 de Novembro de 1755. Nessa altura, as pessoas que foram afectadas percorreram os arredores a pedir um pão, por Deus.
A tradição é oferecer às crianças bolinhos tradicionais, castanhas, romãs, frutos secos, mas agora o que se oferece é mais à base de chocolates, rebuçados, etc.
Hoje em dia começa a perder-se um pouco esta tradição e começa a ver-se cada vez mais as crianças mascaradas na véspera à noite, a noite das Bruxas. Mas eu continuo a preferir o tradicional, e nacional, Pão-por-Deus.

Biscoitinhos

Eis a minha 1ª experiência com o dispara-biscoitos. Dizer que não me entendo com o dispara-biscoitos é favor. Ora sai um biscoito, ora não sai, ora sai só metade, enfim. Uma neura.
Mas no fim o sacrifício valeu a pena, pelo resultado obtido. Ficaram muito bons.


(antes de ir ao forno)

(depois de prontos)

A receita, fui buscá-la à Hélia:

100 gr. de Açúcar
180 gr. de Margarina
1 Ovo
2 colheres (de sobremesa) de Lavanda para Culinária (usei só uma mal cheia)
300 gr. de Farinha
1/2 colher (de sobremesa) de Fermento em Pó
1 pitada de Sal

Introduzir todos os ingredientes no copo da Bimby e programar 20 seg., vel. 6.
Em seguida programar 2 min., vel. espiga.
Também podem amassar tudo à mão até ficar uma massa que se despega da tijela.
Colocar a massa no dispara-biscoitos e disparar para um tapete de silicone (usei o tabuleiro do forno porque os meus biscoitos parecem alérgicos ao silicone, não colavam).
Vai ao forno pré aquecido a 200º até ficarem douradinhos a gosto.

3 de novembro de 2011

Era uma vez um casaco verde de menino. O menino cresceu e o casaco ficou arrumado. Até que a irmã do menino cresceu e cresceu até chegar a altura de ir buscar o casaco para ela vestir.
Só que o casaco verde era muito giro para o menino, mas muito triste para a menina. Então a mãe lembrou-se de dar um novo "ar" ao casaco. Pegou nuns bocados de feltro, uns botões giros, um bocado de paciência e foi à procura de jeito para costura. Este é o resultado:



A menina adorou e a mãe ficou toda contente porque além de poupar uns trocados, viu que até tem jeito para estas coisas.

28 de outubro de 2011

É minha convicção que quem faz roupa para crianças, principalmente camisolas, não tem filhos. Porque se tivesse, deixaria de coser as etiquetas ao colarinho!!
Sugiro que depois de aplicar as etiquetas, as tentem tirar. E se conseguirem tirar facilmente e sem furar a roupa, que juntem um manual de instruções ou um lupa porque eu tenho dificuldade em ver os pontos  que cosem a etiqueta à roupa: ou são exactamente da cor da peça ou são feitos com linha transparente.
Que me perdoem os fabricantes das etiquetas de tecido, grossas, que depois de aplicadas na roupa ainda ficam com dobras que arranham os pescoços sensíveis lá de casa, mas prefiro quando usam apenas o carimbo ou mesmo aquelas etiquetas manhosas que se rasgam com facilidade.

26 de outubro de 2011

Dona de casa à beira do desespero

Cheguei à conclusão, e não foi agora, que não me consigo organizar. "Porquê??" pensei eu depois de ler tantos blogues sobre organização, livros, revistas, etc.
Até que num momento (raro) de lucidez percebi qual é o problema: preciso que alguém na mesma situação que eu diga como se consegue organizar. Alguém com filhos, que trabalhe fora de casa, sem ajudas da família ou empregada. Alguém que tem horários a cumprir, que chega a casa e tem que cuidar dos filhos, jantar, roupa, etc. Alguém que só tem os fins de semana para as compras, dar um jeitinho à casa, passear com a família, visitar os amigos, preparar a semana que aí vem.
Mas depois de pensar melhor, percebi que até nem estou muito mal. Todos os dias consigo que a família saia de casa com roupa lavada. Todos os dias consigo preparar o jantar, dar banhos, estar um pouquinho com os miúdos, ver um pouco de televisão (mesmo que seja de olhos fechados). O que nem sempre consigo é visitar os amigos, passar tempo no computador, actualizar o blogue, fazer os meus trabalhos manuais (há projectos, não há tempo para eles), as minhas costuras. Ainda há os papéis para organizar, as fotos para separar, arrumar ou digitalizar, coisas que não são essenciais no meu dia-a-dia, mas cuja execução me fariam muito feliz.
Claro que ainda me falta conseguir fazer a ementa semanal. Ainda funciono na base do improviso e isso é muito cansativo. Nos dias que consigo programar o jantar com antecedência, admito que é um descanso, até fico meio zonza com tanto tempo livre.
E depois de falar com amigas e conhecidas, percebi que não sou a única a ter estas dúvidas e dificuldades e que, apesar do stress, todas conseguimos ir levando o dia-a-dia.
Mas se alguém quiser dar sugestões, aceito!

25 de outubro de 2011

A Sara adaptou-se muito bem, melhor do que eu estava à espera, à retirada da fralda. Apesar de na primeira semana ter tido vários acidentes com o xixi e também com o cocó, desde essa altura tem sido um descanso. Neste momento ela já vai sozinha à casa de banho, faz o que tem a fazer no penico e só depois é que me chama, seja para ajudar a vestir, alcançar o papel higiénico (limpa o xixi sozinha) ou para despejar o penico. E se há coisa que ela adora é "puxai o cocoismo".
Às vezes ainda cai uma pinguinha na cueca mas ela não se atrapalha. Tira a roupa, põe no cesto da roupa suja e vai à gaveta buscar roupa limpa.
Há cerca de um mês tirei-lhe também a fralda da noite e ainda não tive que me levantar para lhe mudar os lençóis. Ponho-a a fazer xixi antes de deitar e por volta das 6h00 chama-me para a ajudar a sair da cama para ir ao penico. E volta a dormir. A mãe é que nem por isso.
Sim senhora, tenho aqui uma menina  de 2 anos muito despachada e independente.

24 de outubro de 2011

Um saco para a natação

Entretanto o Daniel começou a ter natação. E precisa de uma mochila para levar a toalha, chinelos, calção de banho, etc. Aproveitando as dicas da Joana Nobre Garcia, fiz este saco para a natação.


Usei um tecido de ganga, apliquei as ilhoses na retrosaria e comprei a aplicação do jogador de futebol (eu sei que o saco é para a natação, mas só havia aplicações do Faísca McQueen e do Homem-Aranha e ele já passou essa fase, ou quase).
E lá foi ele todo contente para a sua aula de natação.

26 de setembro de 2011

E com a chegada do Outono, declaro fim às fraldas de dia e de noite.
Esperam-me umas noites molhadas daqui para a frente, mas vou arriscar. Desde que deixou de usar fraldas de dia, a Sara não molha a fralda de noite. Por isso decidi experimentar deitá-la sem fralda. Antes de me deitar, levo-a à casa de banho para fazer o último xi-xi e depois é esperar que não aconteça nada à noite. Até agora tem acordado seca. Vamos ver se continua assim.

9 de setembro de 2011

Coisas para fazer (ou não) no fim-de-semana

Tantos planos que tenho para este fim-de-semana:
- comprar sapatos para filhotes
- fazer sopa para a semana
- lavar roupa/passar/arrumar
- preparar mudas de roupa para levarem na 2ª feira
- arrumar gavetas dos piquenos (tirar roupas que já não servem)
- fazer protecção para cinto de segurança da Sara (passou para a cadeira auto que era do irmão)
- limpar fogão e zona envolvente (vai ser substituido)
- fazer bolo
- fazer ementa para a semana
- compras supermercado

Além do básico do dia-a-dia: fazer pequenos-almoços, almoços, lanches, jantares, limpar aqui, arrumar ali. Mas nada de grandes limpezas e arrumações. E se conseguir fazer metade do que está na lista já fico muito satisfeita.

Bom fim-de-semanaaa!!!

O fim das férias e o regresso ao trabalho

As férias foram tão, mas tão boas. Quase um mês só para a minha vidinha, para os meus filhotes, para o marido, apesar de termos tido apenas duas semanas os 4 juntos. Ele começou mais cedo para ficar com os filhos e quando ele foi trabalhar eu fiquei mais uns dias com os miúdos.
Nas semanas em que estivemos os 4 juntos fomos acampar, coisa que todos adoramos e foi óptimo (apesar da chuva e depois o vento e novamente a chuva). O Daniel aprendeu a andar de bicicleta sem rodinhas e, como nem sempre conseguiu fazer "aterragens perfeitas", acabou as férias cheio de nódoas negras e raspadelas mas feliz da vida com esses troféus. Como estávamos no parque de campismo, ele podia andar à vontade de bicicleta e então lá ia ele, com os amigos que fez por lá, dar voltas e voltas ao parque.
A irmã também queria ir, mas de triciclo não conseguia acompanhá-lo e zangava-se e refilava com ele.
Também aproveitei as férias, e o campismo, para tirar a fralda à Sara. Agora já é uma menina crescida e faz o chichi e cócó no penico. Às vezes lá há um descuido mas já se controla bem, mas no início eu dava graças por estarmos no parque, tantas foram as vezes que o chichi lhe corria pelas pernas abaixo.

Outra novidade é que o Daniel já vai começar o 1º ano (1ª classe). Está todo contente, já tem os livros e o material todo a postos para começar na 2ª feira. Mas apesar de continuar na mesma escola, no ATL, com alguns dos coleguinhas do ano anterior (transita do Jardim para o Ensino Básico) e de conhecer as crianças dos outros anos (a escola tem até ao 4º ano), os primeiros dias foram de ansiedade. Estranhou um pouco a mudança mas acho que já está a passar.
Ai como eles crescem depressa...
Tenho andado fora da blogosfera por isso agora descobri que o blogger está a mudar. Não sei é se é para melhor!! Não consigo outra vez deixar comentários!!
'Tou aqui 'tou a mudar para outro sítio.

2 de agosto de 2011

As coisas que me fazem vir aqui

Eu tenho andado meio fora daqui. É a falta de tempo, é o trabalho, é a casa, é tudo e mais alguma coisa. Mas não resisti a vir aqui para comentar uma coisa. Então a Júlia Pinheiro deixa de apresentar o Peso Pesado e vem a Bárbara Guimarães? Enfim, vai de mal a pior.
E agora um beijinho para quem me lê. Um dia destes volto para actualizar.

10 de julho de 2011

E aqui estou eu a preparar-me para duas semanas de férias...
da minha colega.
Vai ser bonito, vai!!

1 de julho de 2011

Diz a minha colega: "Estamos sem net. Dá-me o nº da assistência"
Respondo eu: "Não tenho aqui. Procura na página do Sapo"

Resultado: gargalhada (Dahh)

É o que dá estarmos tão dependentes das tecnologias!

30 de junho de 2011

Menos uma coisa para me preocupar

O Daniel está a ajudar-me a cortar feijão verde. Ele corta as pontas, numa tábua, com uma uma faca pequena e que corta bem manteiga no verão. Mas ele não se importa, porque está a ajudar a mãe. E a mãe está toda contente porque o seu menino pequenino já é um homenzinho que ajuda na cozinha.
Depois de alguma conversa, digo-lhe que é muito bom que ele aprenda a estar na cozinha, aprenda a cozinhar, etc. "Mas mãe, eu não preciso, tu fazes". "Sim, filho, por agora eu faço. Mas imagina que te casas e a tua mulher não sabe ou não pode cozinhar. Ou que vais morar sozinho. Tens que saber preparar a tua comida, para não passares fome". "Mas mãe, quando eu for crescido e tiver fome, como bolos de arroz e iogurtes líquidos".
E pronto, tá resolvido.

Estes já cá moram!!!

É agora que me vou tornar numa mulher-super-organizada-dona-de-casa-mais-que-perfeita!

22 de junho de 2011

Uma grande mudança na minha vida

Parece muito dramático, mas não é. E digo isto agora, passado um mês, porque na altura a mudança custou-me bastante. Até parece que não tenho mais nada com que me preocupar, mas achei bem partilhar este momento.
Então, o que aconteceu é que resolvi largar a minha mala XL. Troquei-a por uma "pochete", uma malinha de pôr a tiracolo.
Sempre achei que devia levar na mala todas as tralhas possíveis e imaginárias, porque de certeza que iria precisar:
- A minha mãe sempre me disse para ter na mala uma escova ou um pente para me compôr (nunca usei porque assim que chego ao trabalho, se for preciso, uso a escova que tenho na minha gaveta já com esse objectivo).
- A agenda é essencial, mesmo que passe o ano sem a abrir, mas está lá porque pode fazer falta.
- Os cartões dos supermercados, do talho, da peixaria, da loja de roupa, etc. porque assim estão à mão se precisar.
- A bolsa com papéis e documentos que podiam ter ficado em casa
- Os boletins de saúde dos filhos
- Uma garrafita de água porque quando saímos com crianças elas têm sempre sede.
- Aquela revista para lermos enquanto esperamos alguma coisa em algum sítio.
- Os brinquedos que os filhos teimosamente trazem e que prometem que levam e no fim vão para a mala da mãe porque eles já estão cansados e ficam lá dias porque eles se esquecem e eu também :p
- O telemóvel
- Sem esquecer a carteira para todos os cartões anteriormente mencionados e a carteirinha das moedas porque a carteira está tão cheia que a parte do porta moedas não consegue fechar e deixa as moedas fugirem para dentro da mala.
Depois de ter ficado uma semana sem carro e ter que ir a pé para o trabalho, cheguei à conclusão que já não aguentava com o peso da mala. E ainda por cima o carro iria ficar mais umas semanas na oficina e teria que continuar a andar a pé.
A mala com as tralhas todas pesava, à vontade 2,5 kg. (sem a água)
Foi então que tomei a grande decisão: trocá-la por outra mais pequena. Fiz uma escolha daquilo que realmente precisava (e é tão pouco), comprei uma malinha pequena (ao fim de uma semana a namorá-la na loja), comprei uma carteirinha pequena onde só cabem as notas, as moedas e o multibanco e passei a andar menos carregada. Foi cá um alívio!!
E o mais engraçado é as coisas que deixei em casa, nem me fazem falta! A agenda também ficou em casa, troquei-a por um bloquinho de apontamentos e actualizo-a à noite se houver alguma coisa para actualizar.
Ontem, achei que tinha saudades da mala grande e espaçosa e por isso levei-a para o trabalho. Arrependi-me logo! Não conseguia encontrar a carteira, depois o telemóvel, depois as chaves para abrir o escritório. Enfim, um caos! Mas já me curei e voltei à minha pequena "pochete".
Acho que é tudo uma questão de organização. E no meu caso, bem preciso de me organizar.

21 de junho de 2011

Hoje é o primeiro dia de Verão

Alguém se lembrou de lhe dizer??
É que hoje de manhã não parecia.

16 de junho de 2011

Eu não vi o eclipse...

Havia muitas nuvens. Só consegui ver a lua cheia já o eclipse tinha acabado há muito tempo.
Mas vi o Google.



15 de junho de 2011

Hoje é dia de eclipse total da Lua

Notícia aqui!

Não se esqueçam de assistir!!

Maquilhagem II

Descobri este protector solar com cor. Acabaram-se as desculpas de falta de tempo para aplicar tanta coisa na cara de manhã. De uma vez só tenho a protecção e a base. Agora já posso sair de casa toda pipoca.

14 de junho de 2011

Conservar feijão verde

Este ano decidi experimentar uma coisa diferente na conservação dos legumes, começando pelo feijão verde. Nos anos anteriores, tenho congelado o feijão, depois de o lavar e cortar a gosto. Mas o problema é que, passado algum tempo, o feijão começa a ter mau gosto e ninguém come.
O ano passado andei a pesquisar como conservar frutas e doces e agora resolvi aplicar essa pesquisa ao feijão verde.
Parece muito complicado mas não é.
Só precisam de feijão verde, frascos (os meus são do grão cozido de compra), água, sal e ervas aromáticas (ou não).
Para começar esterilizei os frascos e as tampas numa panela cheia de água, que deixei ferver uns 5 minutos.
Entretanto lavei e cortei o feijão em pedaços (podem deixar inteiros ou cortar em juliana conforme o vosso gosto).
Retirei os frascos da água quente com a ajuda de uma tenaz, escorri-os e coloquei-os em cima de um pano limpo. Enchi-os com o feijão. A seguir deitei por cima, até encher, 1 litro de água que ferveu com 1 colher de chá de sal e um pouco de ervas aromáticas.
Fechei os frascos e coloquei-os numa panela com água (usei a mesma onde esterilizei os frascos), e deixei ferver cerca de 15 minutos.
Esta fervura é importante porque, além de cozer o feijão, ajuda a vedar os frascos em segurança, eliminando os microorganismos que, de outra maneira, deterioram as conservas.
Umas notinhas de explicação: 1- é importante que os frascos e as tampas vedem bem, por isso uso os frascos do grão cozido de compra, das salsichas, da maionese, dos pickles, porque fazem o "click" quando os abrimos, o que nos garante que a conserva está boa. 2- eu fervi os frascos na panela, porque eram poucos, mas podem lavá-los na máquina da loiça ou utilizar o esterilizador de biberões. Da próxima vez é o que eu vou fazer, até porque é mais rápido e seguro. 3- Se a conserva ficar bem feita, o prazo de validade é de 1 ano. Se não ficar, notam logo porque começa a fermentar e a tampa incha e fica com mau aspecto.
Espero que gostem.

12 de junho de 2011

Ainda não tinha mostrado as prendinhas que os meus filhotes fizeram para me oferecer no Dia da Mãe.
O Daniel pintou o prato e desenhou um postal e a Sara pintou uma jarra com flores. E um postal.


Coisas mai ricas da mamã!

11 de junho de 2011

Doces e mais doces

E quando têm fruta em risco de se estragar, o que fazem? Eu cá por mim, como o que me apetece e com o que sobra faço doces!
Foi o que aconteceu com as nectarinas da Hélia e com os morangos da minha horta. Uns ricos serões passados na cozinha a arranjar fruta e a fazer doce. Sim, porque a fruta não escolhe o fim-de-semana para ficar madura e, das duas uma, ou se deixa estragar (náa) ou se aproveita depois dos piquenos irem dormir para se trabalhar.


O doce de morango na foto tinha acabado de ser enfrascado. E logo há mais...

10 de junho de 2011

O bolo dos 6 anos do Daniel - versão escolinha

E o meu menino já tem 6 anos!! E, claro, teve direito a bolinho feito pela mamã para levar para a escola.
Mais uma vez a receita que uso sempre, mas desta vez usei sumo e raspa de laranja na massa e foi recheado com leite condensado cozido (humm). Os piratas são do filhote.


Estava sem ideias para enfeitar o bolo. Num momento o rapaz quer o Faísca McQueen, noutro momento são os BeyBlade, os Gormitis, enfim. Como só tive tempo para enfeitar o bolo depois de ele ir dormir (para levar no dia seguinte de manhã), lembrei-me de ir cuscar o quarto dele. E lá encontrei os piratas. Sim, ele estava a dormir e nem deu conta. No dia seguinte, quando viu o bolo, ficou todo contente. De tal maneira, que tive que fazer outro bolo igual, mas maior, para o almoço com a família no fim-de-semana.

9 de junho de 2011

Entreter gente pequena

No dia 4 de Junho, fomos a um almoço dos antigos combatentes da companhia do meu sogro, quando esteve na guerra em Angola.
Como sei que essas coisas são sempre cansativas para a gente pequena, levei para cada um dos meus filhos uma mochila com brinquedos e lápis e livros para pintar.


Em 1º plano a minha filha (de chapéu, claro) a pintar com uma das minhas sobrinhas. Os meninos que estão atrás vieram juntar-se ao nosso grupo para brincar um pouco.
E assim se passou uma tarde sem birras e sem problemas.

Agora foi a vez da sopa para congelar

Costumo congelar os legumes em caixas para usar mais tarde em sopas, guisados, o que for. Depois vi numa das cozinhas que visito, "A Economia cá de Casa", esta ideia de congelar os legumes para a sopa em saquinhos individuais. Mas agora evoluí: fiz a base da sopa e congelei em caixinhas o equivalente à dose diária.
É como a Jardineira, é básico mas só agora me lembrei. E foi por causa do post da Jardineira que, em conversa com a minha colega, ela me contou que faz assim.
No fim-de-semana faço a sopa, separo as doses, congelo. De manhã, antes de sair de casa, tiro uma caixa para descongelar e à hora do jantar junto o que quiser para compôr a sopa: agrião, feijão verde, grão, etc.


Para fazer esta base usei batata, cenoura, courgete, nabo, alho francês, alho, azeite.
Fica a sugestão para quem quiser aproveitar, no caso de ainda não o fazerem.

8 de junho de 2011

De maneiras que... não tenho fotografia para vos mostrar, mas posso tentar descrever o franguinho guisado que fiz ontem para o jantar. É que lá em casa cozinha-se todos os dias, ao jantar, mas cá a menina só se lembra da fotografia quando já não há nada para mostrar. E às vezes até faço uns petiscos que ficam mesmo bons. Por isso, a partir de agora vai ser assim: se há foto, óptimo, se não há foto, paciência.
Então ontem o jantar foi frango guisado com ervilhas e puré de batata.
No tacho coloquei um pouco de azeite, alho, cebola, tomate, enfim, o habitual para fazer o refogado. E enquanto começava a aquecer, fui deitando lá para dentro as perninhas, coxas e peitos de frango arranjadinhas e sem pele. Acrescentei um pouco de polpa de tomate para dar cor, meio caldo knorr, um pouco de ervas aromáticas e tapei o tacho com o lume entre o médio e o baixo para ir cozinhando devagar. Enquanto isso descascava as batatas para o puré.
Quando já estava apuradinho e saboroso como eu gosto (demorou mais ou menos o tempo de descascar as batatas, dar banho a dois piolhitos e vestir a piolhita), juntei ervilhas (da minha horta) e deixei acabar de cozinhar.
Ai que pena não ter fotos!
Quanto ao puré, depois de as batatas estarem cozidas, esmaguei-as para uma tigela, juntei um pouco de manteiga, noz moscada e leite morno. É só mexer bem e juntar mais leite se for preciso, conforme a consistência que gostem.
E prontos, não sobrou nada para amostra.
Umas notinhas de explicação: 1- não usei sal. O caldo knorr já é salgado e as ervas aromáticas dão o sabor necessário à comida. Ando a fazer estas experiências na cozinha (a culpa é da Hélia), mas maridinho ainda não percebeu, senão chama-me maluca. Até descobrir, vai comendo, ou por falta de opção ou porque está bom mesmo.
2- Não acrescentei líquidos ao frango. Tinha pensado juntar um pouco de cerveja mas não foi preciso porque ele largou bastante água. 
3- Usei a polpa de tomate porque aquela que eu fiz já acabou e até haver tomates na minha horta, tenho que me desenrascar como as outras pessoas e comprar.
4- Nunca deixo apurar o refogado antes de colocar lá a carne ou frango, o que for. Prefiro colocar os ingredientes todos e deixar cozinhar. Além de ser mais saudável, o meu estômago prefere. De outra forma, é só azia.
E prontos... se tiverem alguma dúvida ou sugestão é só dizer.

3 de junho de 2011

Aviso às mamãs

Anda pra'í uma febre misteriosa que aparece e desaparece logo a seguir. Criança está bem, de repente começa a queixar-se com dores no peito e barriga, vomita (ou não, conforme a criança) vai-se ver tem febre alta, dá-se medicamento (no meu caso ben-u-ron e brufen alternados) e no dia a seguir não tem nada e e volta tudo ao normal.
Aconteceu lá em casa e o resultado foi uma manhã entre centro de saúde e hospital para fazer um raio-x, que se revelou limpinho, porque mais vale prevenir.

30 de maio de 2011

E a Shakira levou a chucha...


Esta não é a Shakira, mas ao procurar imagens de chucha na net encontrei esta foto e trouxe emprestada.
A estória da chucha é a seguinte: na 6ª feira, o meu marido achou que era altura de a chucha da Sara desaparecer por isso escondeu-a.
Como ela só usa a chucha em casa e para dormir, não notou logo. Quando chegou a hora do ó-ó começou a pedir a "fuxa". E o pai lembrou-se de dizer que a Shakira tinha levado. A Shakira é uma cadela já velhota que costuma passear lá no bairro. Ela não chorou, mas pedinchou a "fuxa" até dormir. Mas consegui dar-lhe a volta, prometendo que no dia seguinte iríamos à procura da Shakira . No dia a seguir, de vez em quando lembrava-se e dizia "Shakia fuxa". O irmão, sempre muito preocupado, correu a casa à procura da chucha para a mana não chorar, por isso tive que a esconder dos dois. Só no domingo, é que houve birra na hora da sesta, mas lá consegui distraí-la com a chuva e acabou por adormecer, mais uma vez sem a abençoada "fuxa". É provável que nos próximos dias haja mais birra, mas ontem pelo menos, não pediu. Até porque na creche já há muito tempo que ela dormia sem chucha.
O Daniel também largou a chucha com 2 anos, mas foi por acaso. Fomos acampar e só a meio do caminho me lembrei que a chucha tinha ficado em casa. Também pedinchou um pouco, mas sem birras e lá se aguentou uma semana sem ela. Quando regressámos a casa, escondi-a logo. Assim que ele entrou pediu logo a chucha mas nesse caso a justificação foi que tinha ficado no campismo. E não voltou a pedir.
Tenho pena da Shakira, que ficou com a fama de ladra de chucha.

Festa e Diversão sem Preocupação

Isto é para quem quer fazer uma festa e não tem tempo, ou acha que não tem jeito, para fazer uns doces, uns salgados, umas sobremesas, uns bolos de aniversário, baptizado, etc.  Chama-se Festa e Diversão sem Preocupação e já está a aceitar encomendas.
Para comprar artigos úteis a óptimos preços visitem http://mytuppbiz.blogspot.com/
Valem bem o investimento.
Deixo aqui um exemplo do que lá podem encontrar:
 

26 de maio de 2011

A violência entre jovens assusta-me. Não só entre jovens, claro, mas principalmente. Fico a pensar o que vai acontecer com os meus filhos. Serão dos que apanham ou dos que batem? Espero que sejam dos que têm os pés assentes no chão, que sabem o querem da vida, que sabem que têm que se esforçar para obter o que querem e que nada lhes cai de mão beijada. Espero que sejam dos que se defendam e defendam quem precisa. Espero poder continuar a dar-lhes todo o apoio que precisem, todo o carinho que merecem. Espero ser sempre um bom exemplo para eles e estar presente quando eles precisarem de mim, para que não precisem de recorrer a outras pessoas que podem ser ou não as pessoas certas.
Sei que não os posso proteger sempre e de tudo e isso custa muito.
Espero e desejo que sejam muito felizes.
Isto tudo porque li agora isto e fiquei atordoada, não só com a agressão em si mas também com alguns comentários que li.
C'a neura!!! Não consigo comentar nenhum blogue!! Mas isto passou-se outra vez ou quê???

25 de maio de 2011

Olá, é só para dizer que continuo por cá, um pouco cansadita mas deve ser da idade, do tempo, da falta de tempo, etc e tal.
E agora com a horta a dar os seus frutos, andam as costas a dar sinal. Aqui o problema é a idade e a falta de hábito...
Em breve venho actualizar as minhas coisas.
Até lá, um abraço a quem passa por aqui.

3 de maio de 2011

O Peso Pesado da SIC - II

Afinal eu não tinha visto bem o 1º programa. Tinha gravado para ver depois de os miúdos irem dormir, mas pelas conversas durante o dia, percebi que tinha avançado partes importantes (dah). Por isso ontem à noite, toca a ver novamente (ainda não tinha apagado a gravação da véspera) e vi um  pouco do episódio de ontem.
Continuo sem gostar.
Vou continuar a ver o da SIC Mulher. O original é sempre melhor.

2 de maio de 2011

O Peso Pesado da SIC


Não gostei! Se calhar é porque estou habituada ao original que passa na SIC Mulher, mas este que estreou ontem não me convenceu.
Vou esperar para ver se melhora.

29 de abril de 2011

Já está. Coisa mai linda!!


Pronto!! Agora é que vou trabalhar!! 

Digam o que disserem, estou entusiasmada com o casamento real. Não sei se é por ser o sonho de qualquer rapariga casar com um príncipe e viver um conto de fadas ou se é apenas porque é um rapaz e uma rapariga que decidiram mostrar ao mundo (literalmente) que querem assumir um compromisso para a vida. 
De qualquer maneira, é preciso coragem para embarcar nesta aventura que é o casamento. Quem vive um relacionamento a dois sabe que não é fácil, é preciso amor, amizade, paciência (muita), respeito, partilha, companheirismo. Mas às vezes há diferenças que não se conseguem resolver ou as pessoas não estão para ter o trabalho de tentar. Em todo o caso, é sempre triste quando não resulta.
No caso destes dois, vão ter os olhos do mundo em cima deles o resto da vida, o que também não ajuda.
Mas espero que consigam enfrentar tudo, juntos, e que sejam muito felizes e tenham muitos meninos, e etc e etc..
Por mim, tenho que trabalhar, por isso não vou assistir à cerimónia. Mas vou espreitando de vez em quando, se conseguir.

21 de abril de 2011

Ai a Páscoa!!

Passei aqui para desejar uma Páscoa Feliz a todos.
Não há tempo para mais.
Este fim de semana vou ter visitas, o meu irmão que mora no Porto e que não vejo há muito tempo (falamos ao telefone e pelo messenger) decidiu vir visitar a família e apresentar a nova mulher.
Assim, ele vai poder conhecer pessoalmente os sobrinhos, que ainda não conhece, e rever a família.
Por isso, deixa-me ir organizar ideias e planear refeições e sobremesas e coisas boas.
Um abraço a todos!!

7 de abril de 2011

Jardineira para congelar

Um dos pratos preferidos do meu marido é a jardineira. De porco, vaca ou frango, marcha sempre. É um prato que todos comem bem lá em casa e por isso de vez em quando faço.
No outro dia lembrei-me que podia poupar tempo se preparasse a mais e congelasse uma dose extra.
Para muita gente isto é básico, mas que se há-de fazer? A mim ainda não tinha ocorrido!!


Assim decidida, fiz uma jardineira de novilho (comprei no Lidl, a carne é macia e os miúdos comem bem).
Na panela de pressão coloquei um pouco de azeite, alho picado, a carne, tomate, cebola, cenoura, ervilhas acabadinhas de apanhar da minha horta, um caldo knorr e uma pinguinha de água. Não é preciso muita água porque os legumes e a carne libertam líquido.
Fechei a panela de pressão e deixei cozinhar. No fim rectifiquei o sal (o caldo knorr já é salgado) e separei as doses.
Naquela que ia servir de jantar acrescentei batatas e mais um pouco de água para ter molho. A outra, esperei que arrefecesse e congelei.
Às vezes, em vez das batatas, ponho courgete e beringela. Fica tão bom... Mas essa versão é só para mim e para a Sara. Os homens lá de casa são mais esquisitos.

6 de abril de 2011

Frango no forno

Hoje trago um frango no forno que a minha mãe costuma fazer e que eu adoro. É daqueles pratos simples, fáceis e deliciosos e que me levam de volta a outros tempos.
Basta temperar o frango com sal, alho e limão. Levar ao forno e ir virando de vez em quando para tostar bem.
Não leva gordura nenhuma além da própria gordura do frango.
Desta vez acompanhei com batata nova, cozida com pele que depois retirei, e que foi ao forno no tabuleiro do frango para tostar também um pouco.


Huumm. Tão bom..

5 de abril de 2011

O pão de leite da Ana Rita

Um destes dias andava a cuscar a cozinha das vizinhas e encontrei esta receita de pão de leite. Como me pareceu muito fácil de fazer (ai a preguiça...) resolvi experimentar. Este foi o resultado:


Ficou muito bom e macio. O Daniel adorou. Gostou tanto que este fim-de-semana me pediu para fazer novamente. Se calhar não é o mais indicado para quem tem diarreia, por causa do ovo e da manteiga, mas o rapaz não comia nada de jeito há 4 dias e resolvi fazer.


A receita é a mesma, com uma pequena alteração. Também pode haver quem lhe chame esquecimento. Ou distracção. Não vamos ser picuinhas. Só me lembrei da manteiga no dia a seguir. E isso porque abri o microondas e vi que ela ficou lá à espera de ser ligeiramente derretida.
Agora está esclarecida a diferença de aspecto entre um e outro.
Mas ficou bom na mesma.
Para quem tem preguiça em seguir o link para a cozinha da Ana Rita (o que é uma pena porque ela tem lá coisas muito saborosas para provarem), aqui fica a receita:

250 ml de leite morno
2 colheres de sopa cheias de mel
70 gr de manteiga
1 ovo
40 gr de açúcar
1 pitada de sal
500 gr de farinha
2 colheres de chá de fermento biológico seco

Colocar na cuba da máquina os ingredientes por ordem.  Selecionar o programa "Massa".
Terminado o tempo, retirar a massa para uma superficie enfarinhada e dar forma ao pão. Fazer uns cortes no cimo.
Colocar num tabuleiro polvilhado de farinha (eu fiz na forma de bolo inglês) e levar ao forno pre-aquecido a 200ºc.
Coloque também um recipiente com água no forno de modo a ter humidade para o pão ficar mais fofo.
Ficará no forno cerca de 30 minutos até estar dourado e cozido.

Bom apetite!

Já passou!!

Ufa!! A minha "amiga" gastroenterite já se foi embora. E cá por casa já voltámos à rotina habitual. Obrigada pelas vossas mensagens.
Um abraço apertadinho para vocês.

30 de março de 2011

Uma gastroenterite em 3 actos

Isto cá em casa está animado. Depois da Sara, que felizmente está melhor apenas continua ranhosa, a amiga gastroenterite decidiu passar para mim. Por isso, na 2ª feira tive um serão animado de sai e entra da casa de banho. À conta disso já quase acabei o livro que estava a ler. Ontem, depois de uma noite mal dormida, fiquei em casa com a filhota que ainda estava fraquita. À tarde, lembrei-me de ir buscar o Daniel mais cedo à escola. Chego lá e vêm logo os colegas dele ter comigo "O Daniel vomitou ao almoço!!". Lá estava ele sentado num canto, murchito. Falei com a educadora que me confirmou que ele tinha vomitado, mas como tinha ficado melhor a seguir, desistiram de me chamar para o ir buscar. E até já tinha lanchado.
Como tinha combinado uma coisa com os meus pais, fui até lá a casa. Assim que o rapaz sai do carro, lá vem o lanche todo para fora. Entramos em casa e lá vai ele para a casa de banho, diarreia. E é assim que agora estamos os 3 em casa, a dieta, à espera que esta visita indesejada se vá embora.
Pelo que entretanto me contaram, o problema não é exclusivo da escola onde andam os meus filhos. Há mais creches e infantários na cidade com o mesmo problema.

25 de março de 2011

Filhota doente

E cá estamos em casa, de molho. Continua a febre, que felizmente baixa assim que toma o xarope. Ontem à noite o jantar voltou todo para trás e teve diarreia. Não quis comer mais nada mas hoje de manhã já comeu um pouquito de papa de arroz. Não vomitou e adormeceu no sofá, mas vamos ver como continua o dia.
O irmão foi para a escola porque não há necessidade de ficar fechado em casa o dia todo, quando pode ir brincar com os amiguinhos.  Mas daqui a pouco, quando ela acordar, já sei que vai começar a perguntar pelo "Aieo" (não consegue ainda dizer Daniel).
Agora vou aproveitar a folga forçada e fazer qualquer coisita, enquanto ela dorme.

24 de março de 2011

Gastroenterite ou apenas constipação?

Há hora de almoço telefonam-me da creche: "A Sara vomitou ao almoço. Comeu bem a sopa mas depois vomitou quando comia o segundo prato. Não comeu mais nada e está muito murchinha. Talvez seja uma gastroenterite, há mais meninos da sala dela que estão assim."
Fui logo buscá-la e quando lá cheguei fui avisar o irmão que a ia levar para casa e que ele ia na carrinha, como habitualmente, para casa da avó. Nesta altura ele disse-me que de manhã, na carrinha, ela já se tinha engasgado com expectoração.
Só havia 4 ou 5 meninos na sala dela porque os outros estão em casa, doentes com vómitos, diarreia. Não tenho por hábito correr logo para o médico por isso viemos para casa para ver como evolui a situação. Depois de dormir uma sesta de 3 horas, acordou com um pouquinho de febre. Dei-lhe um pouco de ben-u-ron xarope e reparei que estava ranhosa. Pediu papa e comeu um bocado mas veio a tosse e a expectoração e lá veio a papa para trás. Há bocado fez um cocó mais mole do que é costume mas ainda não é diarreia. Anda por aqui a espirrar, ranhosa, continua murchinha, não quer comer nada, ou seja, isto parece-me mais uma constipação do que outra coisa.
Vamos esperar e ver.

23 de março de 2011

Era capaz de passar a manhã a visitar todos os blogues que sigo e que eles seguem e ainda alguns que são seguidos por esses.
Mas tenho que trabalhar!!!
Um bom resto de semana para quem me lê!

Poema aos homens constipados

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.

Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.

Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo

Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.

Faz-me tisana e pão-de-ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.

António Lobo Antunes - (Sátira aos HOMENS quando estão com gripe)

21 de março de 2011

A senhora ministra da saúde e o exercício

Li agora no Correio da Manhã que a senhora ministra da saúde diz que "Portugal precisa de se mexer. Fui comentando durante a competição que os portugueses estão a ficar muito gordinhos, o que não é bom. Essa situação pode provocar graves problemas".
Ainda bem que a senhora ministra está preocupada. Pode ser que agora o IVA dos ginásios e dos artigos desportivos baixe para 6%.

18 de março de 2011

Hoje está um dia mesmo bonito para se andar na rua, passear, absorver um pouco de vitamina D.
Pode ser que amanhã também esteja assim...
Bom fim-de-semana!!

16 de março de 2011

Para as mães, futuras mães, avós e tias

Recebi da Hélia esta história linda e absolutamente verdadeira:

PROFISSÃO "MÃE"

Ana foi renovar a sua carta de condução. Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão.
Ela hesitou, sem saber bem como se classificar
-"O que eu pergunto é se tem um trabalho", insistiu o funcionário.
-" Claro que tenho um trabalho", exclamou Ana. -"Sou mãe".
-"Nós não consideramos 'mãe' um trabalho. Vou colocar Dona de casa", disse o funcionário friamente.
Não voltei a lembrar-me desta história até ao dia em que me encontrei em situação idêntica...
A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.
-"Qual é a sua ocupação?" Perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto; as palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora:
-"Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas. "
A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o ar e olhou-me como quem diz que não ouviu bem...
Eu repeti pausadamente,enfatizando as palavras mais significativas.
Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.
Posso perguntar", disse-me ela com novo interesse, "o que faz exactamente?"
Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder:
-"Desenvolvo um programa a longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipa (a minha família) e já recebi quatro projectos (todas meninas). Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda???), o grau de exigência é em nível de 14 horas por dia (para não dizer 24 horas).
Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de preencher o formulário, se levantou e pessoalmente foi abrir-me a porta.
Quando cheguei a casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipa: - uma com 13 anos, outra com 7 e outra com 3.
Do andar de cima, pude ouvir o meu mais recente projecto (um bebé de seis meses), a testar uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante.
Maternidade... que carreira gloriosa!
Assim, as avós deviam ser chamadas "Doutora-Sénior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas".
As bisavós: "Doutora- Executiva-Sénior".
E as tias: "Doutora - Assistente".

Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas e companheiras.
Doutoras na Arte de fazer a vida melhor!!

*"Somos do tamanho dos nossos sonhos."*

Fernando Pessoa

4 de março de 2011

E hoje os piquenos foram mascarados para a escolinha. Ele de BatDaniel e ela de Abelha Sara. Não esperava que ela aceitasse pôr a bandolete com as antenas na cabeça, mas aceitou e não queria tirar.
Como ele ia participar no desfile da escolinha lá no bairro, atafulhei-o de roupa quente porque hoje está frio e a ameaçar chuva.
E como à tarde há baile no refeitório, levaram também serpentinas e confetis.
 Bom Carnaval para todos!!!
(imagem tirada da internet)

3 de março de 2011

Que alívio!! O fato do Batman ainda serve ao rapaz e aguenta umas boas camisolas por dentro.
Este ano a câmara municipal cortou os apoios ao desfile de carnaval das crianças que todos os anos se fazia na 6ª feira, no centro da cidade. E por isso o desfile do Daniel vai ser no bairro perto da escolinha dele. E a máscara vai ser à escolha do freguês. O ano passado comprei-lhe um fato do Batman mas tive que coser as pernas e as mangas para lhe servir. Este ano ele disse logo que queria o fato do Batman. Só visto a alegria dele quando viu que o fato lhe serve.

28 de fevereiro de 2011

6ª feira, noite de cinema

Na 6ª feira o pai lembrou-se que devíamos fazer uma noite de cinema, que já há muito tempo não fazíamos. Ficou ao critério do Daniel escolher o filme, o que varia sempre entre os filmes da caixa dele (há uma caixa com os filmes do pai e outra com os filmes da mãe). Depois de procurar a caixa (algures na sala à frente do nariz dele mas que ele não encontrava) lá encontrou o filme que queria ver: Carros. Faísca McQueen.
Com direito a pipocas.
Passado meia hora a única acordada a ver o filme era eu. E a comer pipocas. Ehehehe.

25 de fevereiro de 2011

Balança que balança

Zanguei-me com a minha balança de casa de banho. Não é pelo peso que ela me revela, é apenas porque de cada vez que me peso, o ponteiro dá um resultado diferente. Então, para ter uma ideia aproximada da desgraça, fazia a média de 3 ou 4 pesagens seguidas, tipo sobe e desce da balança.
Agora tenho uma toda xpto electrónica, com indicação das percentagens e tabelas dividades por sexo e tipo de actividade. Para me pesar, tenho que ter o livro de instruções ao lado.
O peso é que continua uma desgraça.
Mas isto com umas caminhadas e um bocadinho mais de cuidado com a alimentação, vai ao lugar.
Espero eu.

18 de fevereiro de 2011

A "piei" da Sara

Não sabem o que é? Não falam "sarês" é o que é.
Assim que chega a casa, depois de lutar para tirar sozinha o casaco e o gorro (lá aceita que o irmão ajude), a Sara corre para a cozinha para ir buscar a "piei" da "xopa", que é como quem diz a "colher da sopa". Não tem mal nenhum, até porque ela só mexe na colher, não mexe nas facas nem nos garfos (só nos dela). O problema é que as colheres começaram a desaparecer. E comecei a encontrar colheres debaixo dos sofás, na cama dela, no cesto dos brinquedos, na casa de banho, porque onde a menina vai, a menina larga a colher. E puxei dos meus galões de autoridade maternal e disse "não há mais colher para a menina. Esperas que a mãe dê a sopa para teres a colher". Resposta "Buáaaaaaaaaaa!!!!!!!! " alto e bom som.
Ontem chegámos a casa e ela vem ter comigo sorrateira "mãii, piei?"; "daqui a pouco". "Buáaaaaaaaaaaaaaaa!!!". Lá se agarrou ao irmão e foi para a sala. Passado um pouco oiço o Daniel a dizer baixinho "Sara, o mano vai buscar uma colher" e entra na cozinha onde tento despachar o jantar: "mãe, posso levar a minha colher?". "Não". Lá oiço eu a Sara "Buáaaaaaaaaaaaaa!!!". Nisto chega o pai "Que se passa? Porque estás  a chorar?" Beijos e abraços e diz a Sara com mimo "a piei". E responde o pai "pede à mãe". "Buáaaaaaaaaaa!!!"

28 de janeiro de 2011

Bolos de Arroz para o Daniel

O meu filho adora bolos de arroz. Sempre que saímos ele pede um bolo de arroz. No verão, quando foi para a praia pela escola, os outros meninos levavam 1€ para comprar um gelado ele levava 1€ para comprar um bolo de arroz.
Como ele gosta tanto destes bolinhos e gosta tanto de ajudar na cozinha, um dia destes fizemos esta receita da Carla do blog Acção na Cozinha .


Não enchi as formas para não transbordar
Saidinhos do forno
Prontos para desaparecer

Não ficaram tão bonitos como os da Carla, mas ficaram muito bons e desapareceram num instante e o Daniel gostou tanto que já repetimos várias vezes.

A receita da Carla:

1 Casca de Limão
250 gr. Açúcar
2 Ovos
75 gr. de Margarina
1/2 colher (café) de Sal
150 gr. de Leite
300 gr. de Farinha
50 gr. de Farinha Custard (não usei)
1 colher (chá) de Fermento
1 colher (chá) essência de baunilha

Coloque no copo a casca de limão e pulverize 30 seg., vel. 5-7-10. Junte o açúcar e pulverize mais 30 seg., vel. 5-7-10. Adicione a margarina, o sal, os ovos e o leite, programe 5 min, temp 37º, vel 3. Em seguida, junte a farinha de trigo, a farinha custard e o fermento e programe 10 seg, vel. 4.
Deite o preparado nas formas (ou numa forma grande) e polvilhe com açúcar, para que fique tostado.
Leve ao forno cerca de 30 minutos a 190º.



27 de janeiro de 2011

A agenda ocupada do meu filho

O meu filho faz 6 anos em Maio e já lhe caíram os 2 dentes de baixo, à frente. Agora estão a nascer, mas como me parecem meio fora do sítio, disse-lhe que ia marcar consulta no dentista para ver se está tudo bem. A resposta dele, com um calendário na mão, foi para eu marcar para o dia 29 de Janeiro. Mas porquê esse dia? perguntei eu. Porque é sábado e dá-lhe mais jeito, foi a resposta.
E esta, hein?

19 de janeiro de 2011

A razão para os filhos obedecerem às mães

MÃE: VAI JÁ ARRUMAR O TEU QUARTO!
FILHO: Não vou!
MÃE: Tens de ir! Eu estou a mandar!
FILHO: E porque é que tenho de fazer o que tu dizes?
MÃE: Está no Código Cívil Português, ARTIGO 128º .

(ARTIGO 128º – Dever de obediência)
Em tudo o quanto não seja ilícito ou imoral, devem os menores não emancipados obedecer a seus pais ou tutor e cumprir os seus preceitos.


(recebida por mail)

14 de janeiro de 2011

Então os signos mudaram?!?!

Segundo a Visão, temos novos signos.

E agora??

Não gosto!!

11 de janeiro de 2011

Dia Internacional do Obrigado

Hoje de manhã, no caminho para o trabalho, ouvi na rádio que hoje é o Dia Internacional do Obrigado. Uma vez que é um hábito em desuso dizer "Obrigado", "Com Licença", "Se Faz Favor", fica bem lembrar.
Sempre me ensinaram a dizer "se faz favor" (porque ninguém tem obrigação de me dar ou fazer coisas) e "obrigado" (pelos mesmos motivos) e procuro ensinar isso aos meus filhos. São normas de comportamento em sociedade que às vezes parece que ficam esquecidas.
Por isso, Obrigada (que eu sou menina) a todos por não se esquecerem destas palavrinhas mágicas.

6 de janeiro de 2011

Mulher trava ladrão e evita carjaking

Ando sempre atrasada com as notícias, mas esta de ontem é o máximo. Li no Jornal de Notícias online.
Assim é que é!! Ganda mulher!!

3 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo!!!!

Muita saúde, muitos amigos e boa disposição é o que vos desejo.

Façam o favor de ter um Bom Ano de 2011!