28 de fevereiro de 2011

6ª feira, noite de cinema

Na 6ª feira o pai lembrou-se que devíamos fazer uma noite de cinema, que já há muito tempo não fazíamos. Ficou ao critério do Daniel escolher o filme, o que varia sempre entre os filmes da caixa dele (há uma caixa com os filmes do pai e outra com os filmes da mãe). Depois de procurar a caixa (algures na sala à frente do nariz dele mas que ele não encontrava) lá encontrou o filme que queria ver: Carros. Faísca McQueen.
Com direito a pipocas.
Passado meia hora a única acordada a ver o filme era eu. E a comer pipocas. Ehehehe.

25 de fevereiro de 2011

Balança que balança

Zanguei-me com a minha balança de casa de banho. Não é pelo peso que ela me revela, é apenas porque de cada vez que me peso, o ponteiro dá um resultado diferente. Então, para ter uma ideia aproximada da desgraça, fazia a média de 3 ou 4 pesagens seguidas, tipo sobe e desce da balança.
Agora tenho uma toda xpto electrónica, com indicação das percentagens e tabelas dividades por sexo e tipo de actividade. Para me pesar, tenho que ter o livro de instruções ao lado.
O peso é que continua uma desgraça.
Mas isto com umas caminhadas e um bocadinho mais de cuidado com a alimentação, vai ao lugar.
Espero eu.

18 de fevereiro de 2011

A "piei" da Sara

Não sabem o que é? Não falam "sarês" é o que é.
Assim que chega a casa, depois de lutar para tirar sozinha o casaco e o gorro (lá aceita que o irmão ajude), a Sara corre para a cozinha para ir buscar a "piei" da "xopa", que é como quem diz a "colher da sopa". Não tem mal nenhum, até porque ela só mexe na colher, não mexe nas facas nem nos garfos (só nos dela). O problema é que as colheres começaram a desaparecer. E comecei a encontrar colheres debaixo dos sofás, na cama dela, no cesto dos brinquedos, na casa de banho, porque onde a menina vai, a menina larga a colher. E puxei dos meus galões de autoridade maternal e disse "não há mais colher para a menina. Esperas que a mãe dê a sopa para teres a colher". Resposta "Buáaaaaaaaaaa!!!!!!!! " alto e bom som.
Ontem chegámos a casa e ela vem ter comigo sorrateira "mãii, piei?"; "daqui a pouco". "Buáaaaaaaaaaaaaaaa!!!". Lá se agarrou ao irmão e foi para a sala. Passado um pouco oiço o Daniel a dizer baixinho "Sara, o mano vai buscar uma colher" e entra na cozinha onde tento despachar o jantar: "mãe, posso levar a minha colher?". "Não". Lá oiço eu a Sara "Buáaaaaaaaaaaaaa!!!". Nisto chega o pai "Que se passa? Porque estás  a chorar?" Beijos e abraços e diz a Sara com mimo "a piei". E responde o pai "pede à mãe". "Buáaaaaaaaaaa!!!"