30 de março de 2011

Uma gastroenterite em 3 actos

Isto cá em casa está animado. Depois da Sara, que felizmente está melhor apenas continua ranhosa, a amiga gastroenterite decidiu passar para mim. Por isso, na 2ª feira tive um serão animado de sai e entra da casa de banho. À conta disso já quase acabei o livro que estava a ler. Ontem, depois de uma noite mal dormida, fiquei em casa com a filhota que ainda estava fraquita. À tarde, lembrei-me de ir buscar o Daniel mais cedo à escola. Chego lá e vêm logo os colegas dele ter comigo "O Daniel vomitou ao almoço!!". Lá estava ele sentado num canto, murchito. Falei com a educadora que me confirmou que ele tinha vomitado, mas como tinha ficado melhor a seguir, desistiram de me chamar para o ir buscar. E até já tinha lanchado.
Como tinha combinado uma coisa com os meus pais, fui até lá a casa. Assim que o rapaz sai do carro, lá vem o lanche todo para fora. Entramos em casa e lá vai ele para a casa de banho, diarreia. E é assim que agora estamos os 3 em casa, a dieta, à espera que esta visita indesejada se vá embora.
Pelo que entretanto me contaram, o problema não é exclusivo da escola onde andam os meus filhos. Há mais creches e infantários na cidade com o mesmo problema.

25 de março de 2011

Filhota doente

E cá estamos em casa, de molho. Continua a febre, que felizmente baixa assim que toma o xarope. Ontem à noite o jantar voltou todo para trás e teve diarreia. Não quis comer mais nada mas hoje de manhã já comeu um pouquito de papa de arroz. Não vomitou e adormeceu no sofá, mas vamos ver como continua o dia.
O irmão foi para a escola porque não há necessidade de ficar fechado em casa o dia todo, quando pode ir brincar com os amiguinhos.  Mas daqui a pouco, quando ela acordar, já sei que vai começar a perguntar pelo "Aieo" (não consegue ainda dizer Daniel).
Agora vou aproveitar a folga forçada e fazer qualquer coisita, enquanto ela dorme.

24 de março de 2011

Gastroenterite ou apenas constipação?

Há hora de almoço telefonam-me da creche: "A Sara vomitou ao almoço. Comeu bem a sopa mas depois vomitou quando comia o segundo prato. Não comeu mais nada e está muito murchinha. Talvez seja uma gastroenterite, há mais meninos da sala dela que estão assim."
Fui logo buscá-la e quando lá cheguei fui avisar o irmão que a ia levar para casa e que ele ia na carrinha, como habitualmente, para casa da avó. Nesta altura ele disse-me que de manhã, na carrinha, ela já se tinha engasgado com expectoração.
Só havia 4 ou 5 meninos na sala dela porque os outros estão em casa, doentes com vómitos, diarreia. Não tenho por hábito correr logo para o médico por isso viemos para casa para ver como evolui a situação. Depois de dormir uma sesta de 3 horas, acordou com um pouquinho de febre. Dei-lhe um pouco de ben-u-ron xarope e reparei que estava ranhosa. Pediu papa e comeu um bocado mas veio a tosse e a expectoração e lá veio a papa para trás. Há bocado fez um cocó mais mole do que é costume mas ainda não é diarreia. Anda por aqui a espirrar, ranhosa, continua murchinha, não quer comer nada, ou seja, isto parece-me mais uma constipação do que outra coisa.
Vamos esperar e ver.

23 de março de 2011

Era capaz de passar a manhã a visitar todos os blogues que sigo e que eles seguem e ainda alguns que são seguidos por esses.
Mas tenho que trabalhar!!!
Um bom resto de semana para quem me lê!

Poema aos homens constipados

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.

Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.

Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo

Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.

Faz-me tisana e pão-de-ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.

António Lobo Antunes - (Sátira aos HOMENS quando estão com gripe)

21 de março de 2011

A senhora ministra da saúde e o exercício

Li agora no Correio da Manhã que a senhora ministra da saúde diz que "Portugal precisa de se mexer. Fui comentando durante a competição que os portugueses estão a ficar muito gordinhos, o que não é bom. Essa situação pode provocar graves problemas".
Ainda bem que a senhora ministra está preocupada. Pode ser que agora o IVA dos ginásios e dos artigos desportivos baixe para 6%.

18 de março de 2011

Hoje está um dia mesmo bonito para se andar na rua, passear, absorver um pouco de vitamina D.
Pode ser que amanhã também esteja assim...
Bom fim-de-semana!!

16 de março de 2011

Para as mães, futuras mães, avós e tias

Recebi da Hélia esta história linda e absolutamente verdadeira:

PROFISSÃO "MÃE"

Ana foi renovar a sua carta de condução. Pediram-lhe para informar qual era a sua profissão.
Ela hesitou, sem saber bem como se classificar
-"O que eu pergunto é se tem um trabalho", insistiu o funcionário.
-" Claro que tenho um trabalho", exclamou Ana. -"Sou mãe".
-"Nós não consideramos 'mãe' um trabalho. Vou colocar Dona de casa", disse o funcionário friamente.
Não voltei a lembrar-me desta história até ao dia em que me encontrei em situação idêntica...
A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.
-"Qual é a sua ocupação?" Perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto; as palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora:
-"Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas. "
A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar para o ar e olhou-me como quem diz que não ouviu bem...
Eu repeti pausadamente,enfatizando as palavras mais significativas.
Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.
Posso perguntar", disse-me ela com novo interesse, "o que faz exactamente?"
Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder:
-"Desenvolvo um programa a longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipa (a minha família) e já recebi quatro projectos (todas meninas). Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda???), o grau de exigência é em nível de 14 horas por dia (para não dizer 24 horas).
Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária que acabou de preencher o formulário, se levantou e pessoalmente foi abrir-me a porta.
Quando cheguei a casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipa: - uma com 13 anos, outra com 7 e outra com 3.
Do andar de cima, pude ouvir o meu mais recente projecto (um bebé de seis meses), a testar uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante.
Maternidade... que carreira gloriosa!
Assim, as avós deviam ser chamadas "Doutora-Sénior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas".
As bisavós: "Doutora- Executiva-Sénior".
E as tias: "Doutora - Assistente".

Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas e companheiras.
Doutoras na Arte de fazer a vida melhor!!

*"Somos do tamanho dos nossos sonhos."*

Fernando Pessoa

4 de março de 2011

E hoje os piquenos foram mascarados para a escolinha. Ele de BatDaniel e ela de Abelha Sara. Não esperava que ela aceitasse pôr a bandolete com as antenas na cabeça, mas aceitou e não queria tirar.
Como ele ia participar no desfile da escolinha lá no bairro, atafulhei-o de roupa quente porque hoje está frio e a ameaçar chuva.
E como à tarde há baile no refeitório, levaram também serpentinas e confetis.
 Bom Carnaval para todos!!!
(imagem tirada da internet)

3 de março de 2011

Que alívio!! O fato do Batman ainda serve ao rapaz e aguenta umas boas camisolas por dentro.
Este ano a câmara municipal cortou os apoios ao desfile de carnaval das crianças que todos os anos se fazia na 6ª feira, no centro da cidade. E por isso o desfile do Daniel vai ser no bairro perto da escolinha dele. E a máscara vai ser à escolha do freguês. O ano passado comprei-lhe um fato do Batman mas tive que coser as pernas e as mangas para lhe servir. Este ano ele disse logo que queria o fato do Batman. Só visto a alegria dele quando viu que o fato lhe serve.