26 de dezembro de 2012

Desabafo de Natal

Eu gosto do Natal. Sempre foi uma época mágica para mim. Desde pequena, quando ia dormir cedo à espera do Menino Jesus com as prendinhas. Nunca fomos ricos, sempre remediados, mas sempre houve lembrancinhas para todos, sempre houve filhoses (gosto de dizer assim), fatias douradas (também gosto assim), azevias, um pinheiro enorme, verdadeiro, no meio da sala, a família reunida. Estas são as memórias da minha infância. Quando eu tinha 10 anos viemos morar para a cidade e tudo continuou, excepto o pinheiro que foi substituído por uma árvore artificial.
E agora que sou mãe, procuro manter a tradição a que me habituei e criar, se possível, uma tradição nossa.
Cá em casa, as prendas só se abrem no dia de Natal, trazidas pelo Pai Natal, que recebe as indicações do Menino Jesus. Ainda se acredita nisso, apesar de o meu filho já ter dito que acha que são os pais que compram as prendas!! Continuo a não ser rica, mas ainda consigo satisfazer alguns desejos dos meus filhos (Play Station Portátil é que nem pensar!). Para a ceia de Natal, só nós os quatro, arranja-se qualquer prato que agrade a todos porque o bacalhau não é consensual e como é uma noite que se quer de alegria, não quero ninguém a queixar-se da comida.
Mas o dia de Natal é que é! Junto a família em minha casa, preparo o almoço e as sobremesas, quem vem almoçar traz qualquer coisa para acrescentar à mesa e é sempre uma correria, esqueço-me sempre de alguma coisa, mas como é família e já sabem o que a casa gasta, perdoam-me sempre.
Mas apesar de continuar a gostar do Natal, sinto que estou a perder o ânimo de antigamente. Já não me entusiasmo como antes com a aproximação da época, já não sinto a alegria que sentia. Faço um esforço pelas crianças e no fim até entro no espírito, mas está a ficar mais difícil. Este ano então, ia sendo uma desgraça. Tinha planos para fazer coisas para oferecer, deixei passar o tempo, não fiz nada do que queria. Quase me esqueci de pessoas importantes para mim, esqueci-me de pessoas amigas, quase não tinha prendas para os meus filhos e a prenda para o meu marido foi comprada na véspera. Podemos dizer que não queremos ser consumistas no Natal, que o Natal deveria ser para lembrar a união familiar e etc e tal, mas gosto sempre de oferecer qualquer coisa às pessoas de quem gosto apesar de não esperar que me dêem qualquer coisa. Gosto mesmo é de ter as pessoas à minha volta e essa é que é a minha prenda.
Se calhar o problema é mesmo da minha cabeça, sentir que tenho que cumprir determinados padrões que afinal ninguém me exige que cumpra. Ainda assim, este ano, apesar de toda a confusão, consegui manter a calma e desisti de projectos que vi não conseguia executar, fiz coisas que não estavam planeadas e que no fim, foram boas opções e todos tivemos um bom Natal, cheio do que é mais importante, a família e os amigos.
Agora, e mais um vez digo isto, só preciso manter a calma e organizar-me. Vamos ver se algures durante este ano que se vai iniciar, consigo isso.

Boas Festas

27 de novembro de 2012

Cedo piaste, mãe

Ao mudar os lençóis da cama da minha filha, pensei que se calhar já é altura de tirar o lençol de resguardo, aquele plastificado que se põe nas camas das crianças pequenas, porque desde que deixou de usar fraldas, se fez xixi na cama 3 vezes, foi muito. Sempre que sente vontade de noite, chama-me para a levar à casa de banho (de dia vai muito bem sozinha). Mas fiz a cama e deixei o lençol.
Às 5 horas desta madrugada, acordo com ela a chamar-me, levanto-me logo, chego ao quarto e encontro-a de pé em cima da cama. Assim que me olha para mim (acho que não me viu) baixa-se e começa a fazer na cama. Nãaaoo!! Assim que peguei nela parou de fazer, por isso foram só umas pinguinhas. Como o lençol e o edredão estavam dobrados dela se levantar, o estrago não foi grande, dobrei esse bocado e virei para os pés da cama e tapei-a com a outra ponta do lençol. Hoje de manhã foi tudo a lavar.
Mas porque é que é que eu fui pensar no raio do xixi na cama? Afinal é melhor deixar o lençol de resguardo.

26 de novembro de 2012

Supermercado em tarde de chuva

Costumo fazer compras de manhã. Habituei-me assim com a minha mãe, que sempre preferiu sair de manhã para "as voltas do dia" e de tarde ficar em casa a pôr as tarefas em dia, na cozinha a fazer um bolo ou apenas sentada à janela a costurar, tricotar,etc.
Eu sempre gostei de fazer as coisas assim, como ela, excepto a parte de costurar e tricotar, que só consigo quando o rei faz anos. Mas com duas crianças ainda pequenas e com a semana ocupada, nem sempre consigo sair de manhã ao fim-de-semana para fazer compras. E no sábado passado, com a chuva e sozinha com os dois em casa, nem pensar. Pensei que à tarde, depois do almoço, com o pai em casa para tomar conta dos filhos, seria uma boa altura para a ronda dos supermercados. A lista de compras era pequena, mas ía também numa viagem de prospecção, que pede tempo e paciência para ver e comparar preços.
Chego ao primeiro supermercado, encontro logo um casal conhecido, que "andava a passear por ali porque, como está a chover, não apetece ir dar uma volta". O quê!??!?! Eu saí porque precisava de alguma coisas e queria aproveitar algumas promoções, porque senão teria ficado em casa com os meus filhos, a aproveitar a tarde em família!
Comprei o que precisava ali e fui a outro supermercado. Chego lá, o parque de estacionamento está cheio. Entro e vejo que há famílias a vaguear pela loja, mas as caixas estão vazias, comparadas com o número de carros lá fora. Ou seja, aqui também há pessoas que vieram só "dar uma volta". Também há as que estão a fazer compras, mas nota-se bem a diferença entre quem anda a passear e quem anda a fazer compras.
Como não fui habituada assim, não vejo necessidade de sair só por sair. Prefiro ficar em casa a curtir a pequenada, em vez de andar à chuva e dentro de supermercados porque não há outro sítio para ir.
Conclusão disto tudo, a partir de agora voltámos às compras só de manhã (também não gosto de fazer compras à noite). Assim despacho-me cedo e fico com a tarde livre para outras actividades, que praticamente se resumem a limpar, arrumar, estar com a família, limpar e arrumar outra vez, etc. e às vezes sair sim, mas com objectivo de passear em família, não apenas vaguear por aí.

22 de novembro de 2012

O meu filho e a escola

Ontem houve reunião de pais na escola do meu filho para apresentação do plano curricular para este ano lectivo. Falou-se do que se vai fazer, quais são as linhas orientadoras para este ano, o que o ministério da educação quer que as crianças aprendam, etc.
Houve troca de ideias, opiniões (às vezes sinto-me uma extra-terrestre porque fico pasmada com as confusões que certos pais arranjam e problemas que inventam, enfim).
Mas o melhor foi saber que o meu filho adora a escola. E deixou isso escrito num painel afixado a propósito do aniversário da escola que foi festejado há dias. Foi pedido aos meninos que escrevessem porque gostam da escola. E o meu filho, do alto da sua experiência de 7 anos de vida, escreveu que "adoro a minha escola, porque foi nela que me fiz homem"!!!
Tomara que sim filho, tomara que a escola te dê as bases necessárias para que possas ser um homem feliz, realizado, respeitado.

16 de novembro de 2012

14 passos a seguir antes de decidir ter filhos



Teste 1: Preparação
Mulheres: preparação para a gravidez
1. Vista um roupão e coloque um saco de feijões à frente.
2. Deixe ficar.
3. Passados 9 meses retire 15% dos feijões.

Homens: preparação para os filhos
1. Vá à farmácia, esvazie o conteúdo da sua carteira no balcão e diga ao farmacêutico para fazer o que quiser com o dinheiro.
2. Vá ao supermercado e combine uma fora de o seu salário ser pago directamente para a conta bancária deles.
3. Vá para casa. Pegue no jornal e leia-o pela última vez.

Teste 2: Conhecimento
Escolha um casal que já tenha filhos e critique-os sobre os seus métodos de disciplina, falta de paciência, níveis baixíssimos de tolerância e sobre como permitem que os filhos corram como selvagens.
Sugira formas para melhorarem os hábitos de sono dos filhos, treino do bacio, maneiras à mesa e comportamento em geral.
Aproveite. Será a última vez na sua vida em que terá todas as respostas.

Teste 3: Noites
Para descobrir como serão as suas noites:
1. Passeie pela sala de estar entre as 17h e as 22h carregando um volume com cerca de 4 a 6 kg, com o rádio mal sintonizado (ou outro som insuportável) bem alto.
2. Às 22h pouse o saco, ponha o alarme para a meia noite e volte a dormir.
3. Levante-se às 23h e ande com o saco na sala de estar até à 1h da manhã.
4. Ponha o alarme para as 3 da manhã.
5. Como não consegue voltar a adormecer, levante-se às 2h da manhã e faça uma chávena de chá.
6. Deite-se às 2h45.
7. Levante-se novamente às 3h, quando o alarme tocar.
8. Cante no escuro até às 4h.
9. Ponha o alarme para as 5h da manhã. Levante-se quando tocar.
10. Faça o pequeno almoço.
Mantenha esta rotina durante 5 anos. Aparente estar cheia de energia!

Teste 4: Vestir crianças pequenas
1. Compre um polvo vivo e um saco de atilhos.
2. Tente colocar o polvo dentro do saco de forma a que não saiam braços
3. Complete esta tarefa em 5 minutos.

Teste 5: Carros
1. Esqueça o BMW. Compre uma carrinha de 5 portas.
2. Compre um cone de gelado de chocolate e coloque-o no porta-luvas. Deixe-o lá ficar.
3. Pegue numa moeda e coloque-a no Leitor de CDs.
4. Pegue numa embalagem de bolachas de chocolate e esmague-as no banco de trás.
5. Passe um ancinho ao longo dos dois lados do carro.

Teste 6: Passeio a pé
1. Espere.
2. Vá para a porta da frente.
3. Volte atrás.
4. Saia.
5. Volte para dentro novamente.
6. Saia novamente.
7. Desça as escadas.
8. Volte a subir as escadas.
9. Volte a descer.
10. Ande 5 minutos muito devagar.
11. Pare, inspeccione bem à volta e faça pelo menos 6 perguntas sobre cada pastilha elástica usada, papel sujo ou insecto morto que encontrar no caminho.
12. Retrace os seus passos.
13. Grite que já aguentou tudo o que podia até que os vizinhos venham cá fora ver.
14. Desista e volte para casa.
Agora está preparada para levar uma criança pequena a passear.

Teste 7: Conversas com crianças
Repita tudo o que diz pelo menos 5 vezes.

Teste 8: Compras
1. Vá ao supermercado. Leve consigo o mais parecido com uma criança em idade pré-escolar que encontrar – uma cabra adulta, por exemplo. Se tenciona ter vários filhos, leve mais do que uma cabra.
2. Faça as compras da semana sem perder a(s) cabra(s) de vista.
3. Pague tudo o que a(s) cabra(s) comerem ou destruírem.
Só deverá considerar ter filhos depois de conseguir fazer isto facilmente.

Teste 9: alimentar um bebé de 1 ano
1. Esvazie um melão.
2. Faça um buraco pequeno de lado.
3. Pendure o melão no tecto e balance-o.
4. Pegue numa taça de cornflakes ensopados em leite e tente enfiá-los à colherada no melão irrequieto, enquanto finge que é um avião.
5. Continue até que metade dos cornflakes desapareça.
6. Cole o que restar no seu colo, certificando-se de que uma grande parte cai no chão.

Teste 10: TV
1. Aprenda os nomes de todos os personagens dos Wiggles, Barney, Teletubbies e Disney (no nosso caso é mais dos Gormitis, Scan2Go, Super Heróis, etc).
2. Veja apenas isso na Televisão durante pelo menos 5 anos.

Teste 11: Desarrumação
Consegue aguentar a desarrumação das crianças? Descubra se sim ou não.
1. Espalhe manteiga no sofá e compota nas cortinas.
2. Esconda um peixe por trás da aparelhagem e deixe-o lá o verão inteiro.
3. Enfie os dedos na terra dos vasos e a seguir esfregre-os nas paredes.
4. Esvazie todas as gavetas, prateleiras e caixas da casa para o chão e siga para o passo 5.
5. Aleatoriamente, leve objectos de uma sala para a outra e deixe-os lá.

Teste 12: Viagens longas com crianças
1. Faça uma gravação de alguém a repetir bem alto “Mãe”. Importante: não deve deixar mais de 4 segundos de intervalo entre cada “Mãe”. Inclua ocasionalmente um crescendo na voz até um nível supersónico.
2. Ponha esta gravação a tocar no carro, sempre que for a algum lado, nos próximos 4 anos.
Está preparado para fazer uma viagem longa com uma criança.

Teste 13: Conversas
1. Comece a falar com um adulto à escolha.
2. Peça a alguém para continuamente puxar a sua saia ou manga da camisa, enquanto toca a gravação “Mãe” referida acima.
Está preparada para ter uma conversa com um adulto com uma criança na sala.

Teste 14: Preparar-se para o trabalho
1. Escolha um dia em que tenha uma reunião importante.
2. Vista o seu melhor fato de trabalho
3. Pegue numa chávena de natas e junte um copo de sumo de limão.
4. Mexa bem.
5. Entorne metade na sua saia.
6. Ensope uma toalha com o resto da mistura
7. Tente limpar a saia com essa toalha.
8. Não mude de roupa (não tem tempo).
9. Vá para o trabalho.

Já está pronta para ter filhos. Aproveite!!!!

Quem já tem, diga lá se não é muito parecido??

26 de outubro de 2012

Salame de chocolate


Uma sobremesa/lanche/ceia/pequeno-almoço que adoro (sim, às vezes também marcha ao pequeno-almoço e depois passo o dia a lamentar-me de coisas que agora não interessam nada).

Salame de Chocolate
Ingredientes
200 gr de bolacha Maria
40 gr de açúcar
3 gemas de ovo
100 gr manteiga
125 gr de chocolate de culinária
 
Modo de Preparação Bimby:

Coloque as bolachas aos bocados no copo e programe 10 seg, vel 3; Reserve à parte; Sem lavar o copo, deite os restantes ingredientes e programe 3 min, 70º, vel 1; Junte as bolachas reservadas e programe 10 seg, vel 3; 
Deite o preparado em folha de alumínio, e forme um rolo apertado; Deixe refrigerar até que endureça. 

Quando eu era miúda, a minha mãe embrulhava o salame em papel vegetal salpicado com vinho do porto e colocava no frigorífico. Depois de estar firme é que embrulhava em folha de alumínio. Ficava uma delícia.

Só mais uma coisa, não há foto porque não deu tempo. Mas melhor do que ver a foto, é fazer o salame e comê-lo. Boa ideia?

25 de outubro de 2012

O aniversário da princesa

E ainda não tinha mostrado o bolo que fiz para a minha princesa, que fez 3 anos em Junho!
Desta vez, e com calma, consegui desenhar uma Minnie que se parece com a Minnie.


Para ser diferente, fiz 2 bolos: o de baixo é Bolo de Natas e o de cima é Bolo de Mousse de Chocolate (a receita está aqui).


Para partilhar com os coleguinhas da creche, no dia seguinte, fiz outra vez o Bolo de Vinagre, recheado com leite condensado cozido. Enfeitei com natas vegetais às quais juntei um pouco de corante para ficar cor-de-rosa. O tema teve que ser a Minnie outra vez, com o Pluto. Havia um Mickey que ficou perdido em casa...


Para oferecer aos amigos, em vez dos habituais rebuçados e gomas, fiz umas bolachinhas de chocolate que os meus filhos adoram.


Aqui estão elas dentro de saquinhos para oferecer


Em breve coloco aqui as receitas do bolo de Natas e das bolachinhas, ok?

18 de outubro de 2012

Tenho tanta coisa que quero dizer e tão pouca vontade de o fazer...

7 de setembro de 2012

O regresso à escolinha

Ainda não contei como foi o regresso dos meus filhos à vida escolar porque, com as correrias todas, ainda não houve tempo. Não há muito para contar, porque correu às mil maravilhas. Sarita começou no jardim, na mesma sala e com as mesmas educadoras que foram do irmão. Para mim é mais fácil porque já as conheço e elas a mim e assim não há surpresas (espero). Como ficou com muitos dos colegas da creche, a transição foi mais fácil. O irmão vai lá muitas vezes visitá-la porque é um mano-galinha e tem sempre que ver como está a "minha (sua) pequenita". Em casa andam às turras, mas isso não interessa nada.
O Daniel está no ATL até começarem as aulas mas todos os dias pergunta se já pode levar a mochila com os livros novos. Seria tão bom se este entusiasmo se mantivesse o ano todo...
Tenho ido buscá-los todos os dias porque a minha mãe ainda está no hospital e não quero sobrecarregar o meu pai tanto tempo com os netos (apesar de ele adorar). Assim, saio do trabalho, vou buscá-los à escola, deixo-os com o avô que já tem o lanche a jeito para eles, vou ao hospital e depois vou buscá-los para irmos para casa.
Para a semana começam as aulas e o meu homenzinho já vai para o 2º ano. Está um crescido.
Coisas mai ricas da mãe.

6 de setembro de 2012

Eu gosto mesmo é de ler blogs de pessoas que têm tudo muito organizado e cujas vidas são um mar de tranquilidade. E depois admitem que afinal até têm montes de ajuda (do marido, dos pais, dos sogros, da empregada, ...), que têm horários porreiros, que não têm filhos ou que os mesmos já são crescidos o suficiente para ajudarem e que só agora é que atingiram esse ponto zen.
Ou seja, ainda há esperança para mim.

5 de setembro de 2012

E quem é que ao 2º dia de trabalho está tão, tão cansada?

Euzinha, pois é!
Para acabar as férias em grande, passei a última noite das mesmas na urgência do hospital com a minha mãe. Há semanas, senão meses, que se queixava de dores na zona abdominal. "Mãe, vamos ao médico", "Não é preciso que já passa". Todos os dias eu falava com ela por telefone ou pessoalmente e nunca se queixava de nada. Às vezes descaía-se e deixava passar que tinha vomitado ou que tinha passado o dia deitada com dores. E eu a insistir para ir ao médico e ela a recusar. Eu a "ralhar" com ela e ela a esquivar-se.
Até que na 6ª feira passada, à noite, as dores deviam ser tantas que lá me telefonou a pedir para ir com ela ao hospital. Disse-lhe para ligar para o 112 e lá fomos.
O problema é na vesícula, uma pedrinha, e desde essa altura que está internada. Não foi operada ainda e nem sei se será, mas já não tem dores, está a dieta e farta de estar no hospital. E eu cá ando a correr entre o trabalho, casa dos meus pais, escola, visita ao hospital, minha casa.
Estou assim a modos que cansadita.

3 de setembro de 2012

Hoje eles, amanhã eu...

E assim regressamos à nossa rotina. Hoje pai e filhos já regressaram aos seus postos de trabalho e amanhã recomeço eu.
A minha piquena lá foi toda contente para o jardim "puque já sou quescida". A mochila às costas com a muda de roupa e os lençóis para a sesta. A Kitty que a avó fez ia no braço e foi a companhia escolhida para as sestas deste ano. O meu homenzinho lá foi também, não tão contente como a irmã, mas assim que chegou e reencontrou as educadoras, as professoras e as funcionárias que tão bem conhece, lá melhorou a disposição. Alguns amigos também já lá estão, por isso vai ser um dia bom. Até a febrita e dor de cabeça do fim de semana vai passar.
O pai também já foi trabalhar e amanhã recomeço eu.
Entretanto ainda falta pôr algumas coisas em ordem, por isso cá vou eu tratar de me despachar porque o relógio não pára.
Um abraço e até outro dia.

28 de agosto de 2012

Actualização do meu estado: de volta a casa

Ao fim de duas semanas, regressamos. Posso voltar para o campismo??
Foram duas semanas sem stress, sem ralhetes (bem, alguns), sem confusões, sem stress (já tinha dito?). Posso voltar para o campismo?? (acho que me estou a repetir).
Para a semana voltamos à rotina de escolinha e trabalho. Já sei que houve algumas alterações no meu local de trabalho, tipo mudarem a minha mesa de sítio, virada para uma parede (deve ser castigo por ter férias!?).
Mas isso não me está a preocupar por agora e até acho que não me vai preocupar depois. Estou numa onda de não-quero-saber.
O que eu queria mesmo era voltar para o campismo (epá, outra vez?). Espaço, ar fresco, jovenzitos à vontade a brincar, a andar de bicicleta, sem stresses, sem confusões.


17 de agosto de 2012

Actualização do meu estado: de férias

Neste momento a aproveitar a sesta dos piquenos para ler mails e ver coisas na net e escrever qualquer coisa aqui.
Como já tinha escrito antes, viemos acampar. Chegámos faz hoje uma semana e ainda contamos ficar cá mais outra semana. O tempo tem estado bom, com calor e vento q.b. Houve um dia de chuva e tempo encoberto mas já passou.
Apesar de estarmos perto de praias, só temos saído do parque para fazer compras, porque este ano o parque tem piscina. Paga-se para entrar mas mesmo assim, na minha opinião, compensa. O resultado é que o Daniel aprendeu a nadar, à "cãozinho" e de braçadeiras, mas já consegue percorrer a piscina toda sem medo, mesmo na parte mais funda. A Sara também gosta, também já bate as pernas, mas apesar de aventureira, tem medo de ir ao fundo, por isso está sempre agarrada a mim ou na piscina das crianças.
Este ano a crise nota-se no parque porque, em pleno mês de Agosto, pode-se dizer que está vazio. Há espaços por ocupar, não há filas nos balneários, etc. Para mim está óptimo assim, já que detesto confusões.
No entanto, noto que há mais gente porca, infelizmente. São os lava-loiças todos sujos e entupidos, são os tanques de lavar roupa também sujos e entupidos, são os chuveiros que servem de sanita, enfim. Mas a culpa não é dos funcionários que se vêm constantemente a limpar as casas de banho e as zonas de lavagem da loiça, é das pessoas que não têm respeito pelos outros. Este tipo de comportamento será culpa da crise? As pessoas vêm para o campismo porque o dinheiro não chega para irem par outro sítio mais chique e por isso vingam-se? Não, a culpa não é da crise, é mesmo só falta de educação.
Voltando às partes boas, tem sido piscina, descansar, andar de bicicleta, descansar. Só me canso mesmo quando vou às compras, porque tenho que carregar com o saco.
Almoços e jantares à base de grelhados, às vezes quando apetece uma comidinha mais composta, vamos buscar a algum restaurante (sempre sai mais barato que comer lá).
Bem, tenho que ir porque entretanto os meus jovens já acordaram da sesta e o Daniel já vai comprar as senhas para a piscina.
Um abraço.

9 de agosto de 2012

Em modo de férias dentro das férias

Estamos de férias desde o início do mês, mas por agora temos ficado por casa a resolver coisas, praia à tarde alguns dias, brincadeiras em casa dos avós nos outros dias. Mas agora é que vai ser, vamos acampar e já falta pouco.
Já fiz a lista do que é preciso, já comecei a separar as roupas de vestir, roupas de cama, curativos, medicamentos, mercearia, brinquedos. Agora só falta mesmo algumas coisas de última hora para nos pormos a caminho.
Espero amanhã por esta hora já estar no parque de campismo que é o mesmo de todos os anos. Já estivemos em muitos parques, mas voltamos sempre a este. É caso para dizer que não há amor como o primeiro. E este ano até tem piscina. Assim, se não apetecer ir para a praia, ficamos pelo parque mesmo.

5 de agosto de 2012

Uma questão de interpretação...

Daniel: "Mãaaeee, a Sara está a dar-me pontapés!!!"
Sara: "Não estou nada. Estou a fazer festinhas ao mano!"

Com os pés...

31 de julho de 2012

É só para dizer que já só falta 1 hora para eu entrar oficialmente de férias!!
Vivaaa!!
Mas espero vir cá de vez em quando...

19 de julho de 2012

Ir de férias com crianças

As férias estão quase aí e, com crianças pequenas há que tomar algumas precauções. No meio das tralhas todas, tem que haver espaço para algumas coisitas que em casa temos à mão, mas que nos sítios para onde vamos de férias, pode não haver.
Já me aconteceu ir para uma vila onde a farmácia só funcionava algumas horas, um dia por semana.
Por isso, aqui vai uma lista de coisas que convém levar:
protector solar
creme para queimaduras solares
pensos rápidos
eosina (em vez de betadine, é desinfectante e cicatrizante, não arde e é barato)
algodãoe/ou discos de algodão
compressas (esterilizadas e não esterilizadas)
adesivo (de rolo, para segurar as compressas se for necessário)
anti melgas e mosquitos
pomada bepanthene (nas suas várias opções: queimaduras, esfoladelas)
ben-u-ron
brufen
xarope para tosse
soro fisiológico (mono doses)
água do mar
termómetro 
nº telefone da pediatra (para o caso de haver alguma dúvida)

É claro que esta lista se aplica tanto às crianças como aos adultos, por isso convém levar os medicamentos nas dosagens adequadas a cada idade.
Parece muita coisa? É alguma coisa, sim. Mas bem arrumadinho não ocupa muito espaço e com crianças pequenas há sempre necessidade de tratar alguma esfoladela, arranhão ou febre súbita.
Esperemos que não.




Então a minha colega está de férias e eu estou a tentar fazer o meu trabalho e o dela, sendo que o dela é atendimento ao balcão, por isso tem mesmo que ser feito.
Ora, se estou a atender clientes que se encontram fisicamente à minha frente, nem sempre consigo atender o telefone antes de a central telefónica passar a chamada para a minha extensão, que geralmente é ocupada por mim, mas que agora está entregue à sua sorte.
Nessa altura, algum colega atende a minha extensão. Como é um telefone portátil, quem atende leva-o para a sua secretária.
Nos momentos sem clientes, regresso à minha secretária para pôr o meu serviço em dia e quando o telefone toca eu .... não sei onde ele está!!!
Mas lá o encontro!
E prontos, vim só partilhar mais um disparate.

Tenham um resto de bom dia, de boa semana, etc.

16 de julho de 2012

E hoje o Daniel quis levar a sua escavadora nova para a escola.
A irmã também quis levar um brinquedo.
Nos outros dias tem levado bonecas ou puzzles ou livros, mas hoje apeteceu-lhe uma coisa diferente. Levou o camião do lixo!!


13 de julho de 2012

A 1ª compra do meu filho

E ontem o Daniel conseguiu comprar o seu primeiro brinquedo, com o dinheiro que juntou durante várias semanas. Pelo meio, a avó decidiu também contribuir, já que ele ajuda sempre alguma coisa lá em casa, o que ajudou a atingir o objectivo mais depressa.
E assim, o rapaz já tem a sua escavadora de sonho.
 E se eu pensava que a vontade de trabalhar para ganhar dinheiro acabava com a primeira compra, enganei-me. Agora está a juntar dinheiro para o "camião da mina" que faz parte da colecção. E também para comprar um frasco de champô para mim, porque conseguiu esvaziar num banho só, um frasco que ainda me dava para uma semana, à vontade. 

12 de julho de 2012

11 de julho de 2012


O céu está azul, com uns farrapinhos de nuvens.
Está sol.
Há pessoas de calções, manga curta ou blusas de alças, sandálias.
O calendário diz que é verão.
Mas....
Está vento.
O vento é frio.
Há pessoas de casaco vestido.
Quem está de  blusa de alças inveja os que têm o casaco vestido.
Verão nas Caldas é outra coisa...

10 de julho de 2012

Gosto quando as pessoas mandam "comprimentos" no fim das cartas, mails,..
Se mandassem larguras seria pior....

Eu quero férias, férias, férias

Mas primeiro vai a minha colega e só depois vou eu. E vai ser o mês de Agosto inteirinho!!
Pois, não gosto muito do mês de Agosto para férias, mas a creche fecha, os avós não podem ficar com os netos, amas só por um mês nem pensar. Além disso estão cansados e a precisar de férias tanto como nós. Foi um ano inteiro a acordar cedo todos os dias e a cumprir horários todos os dias. Tão diferente de quando eu era criança, em que todas as pausas escolares e férias eram mesmo pausas e férias.
O pai não vai ter o mês inteiro de férias (recibo verde, não trabalha, não ganha) mas vamos ter uns dias juntos para ir armar barraca num parque de campismo algures onde houver bom tempo.

28 de junho de 2012

Será demais dizer que já estou com dor de cabeça (são 10h) porque alguém resolveu tomar banho em after-shave ou o raio-que-o-parta?

22 de junho de 2012

Hoje é dia de Adele


A minha companhia em muitas tardes em que não apetece ouvir os disparates dos outros.

Amanhã há piquenique...

 
Amanhã vai haver um piquenique na escolinha do meu filho, para os meninos do 1º ciclo e do ATL e suas famílias. Eu gosto de piqueniques, mas este começa logo de manhã e tenho que preparar as coisas logo à noite e já estou a atrofiar com tanta coisa para fazer.
Tenho que preparar as mantas (para pôr no chão com as tralhas em cima), procurar o conjunto de pratos e talheres de plástico para piquenique que eu sei que está lá em casa e que vi no outro dia e que já devia ter separado mas ainda não o fiz, fazer um bolo, preparar a comidinha, as bebidas, a fruta, o chapéu de sol porque lá não há sombras, só um toldo e que acho que não chega para todos e por isso é melhor ir preparada.
Não sei como vai funcionar a questão da comida, é cada um por si ou coloca-se tudo numa mesa e cada um serve-se do que está disponível?
Em todo o caso tenho que me preocupar em preparar comida que o meu pessoal goste e coma, certo? Em casa até nem é muito complicado, mas para sair, ai ai. Há muitas sugestões por aí mas envolvem quiches e saladas e folhados e coisas que eu até gosto mas que o meu pessoal não come. Estou a pensar fazer uns panados de peru, croquetes e rissóis  que foram feitos para o aniversário da Sara e que estão congelados à espera do piquenique. Vou levar pão que compro daqui a pouco e que amanhã ainda está óptimo e as sempre presentes (nestas ocasiões) batatas fritas de pacote. Penso que isto chega. Mais a fruta (bananas, cerejas, melancia cortada e arrumada numa caixa), a água e os sumos, acho que ficamos bem.
Acho que não me esqueço de nada, mas se tiverem alguma sugestão, agradeço.

21 de junho de 2012

A ouvir em modo repeat


(ainda bem que inventaram os headphones senão o pessoal aqui à volta já tava a dar em maluco!!)

20 de junho de 2012

Acabaram de me chamar lambona!!!

Só tenho 1 hora de almoço (opção minha para sair mais cedo à tarde) e hoje não deu para fazer tudo o que precisava, principalmente almoçar.
Por isso, fui comprar uma salada num take-away perto, para comer à frente do computador (não temos copa).
A minha colega ficou encantada com a minha salada (muito bem servida) mas disse logo que para ela dava para duas refeições!!
Ora, se eu ia comer aquilo tudo ao almoço, isso faz de mim o quê?? Lambona!!
Pois é, amiga, este corpinho não se aguenta só com um copo de água quando tem fome. Tem que ser bem abastecido porque senão cai p'ró lado!


Coisas que gosto de fazer - VIII - o saco da Sara


Fiz este saco numa tarde de domingo, depois de secar o saco-cama da Sara e pensar que ficava tão feio mandá-lo para a escola dentro de um saco plástico.
Um bocado de pano-cru, uns restos do tecido que a minha mãe usou para fazer o saco-cama, um bocadinho de jeito e pronto...

14 de junho de 2012

O Daniel, o dinheiro e as tarefas para ganhar dinheiro

Sempre que saio com o Daniel, ele pede para lhe comprar um brinquedo. Eu adoraria poder comprar-lhe um brinquedo sempre que saímos mas, além de sair caro, acho que é um mau hábito que se cria.
No dia 1 de Junho, saí com os dois piquenos e demos uma volta pela cidade, aproveitando as várias actividades que havia nesse dia. Um dos pontos de visita foi a loja de brinquedos de uma amiga e que é sempre paragem obrigatória, mais não seja para eu conversar um pouco e eles namorarem os brinquedos que lá se vendem. Estas visitas são sempre acompanhadas de muitos nãos e por isso são raras.
Nesse dia, e por ser dia da criança, acedi em comprar um brinquedo para cada um. Escolhemos juntos umas peças mais em conta, porque o orçamento tem que ser dividido pelos dois irmãos. Mas o Daniel queria um brinquedo mais caro. E eu disse que não. Ele estava muito contente com o brinquedo novo, mas preferia o outro porque era maior, porque tinha isto e aquilo e etc. Mas contentou-se com aquele porque ou era aquele ou nenhum (que mãe tão ruim).
Já em casa, perguntou-me porque é que eu não lhe tinha comprado o outro brinquedo e eu, mais uma vez, respondi que o outro é caro, que o dinheiro não é para gastar assim à toa, que ele tem que poupar o dinheiro que recebe de vez em quando (aniversário, natal, arrumar carrinho das compras) para depois poder comprar o que quer.
Resumindo a conversa que se seguiu, o Daniel propôs que eu lhe pagasse para ele fazer algumas tarefas em casa. Negociámos e chegamos a uma lista de 4 tarefas diárias que ele tem que cumprir senão não recebe:
- fazer a cama quando se levanta (é só "puxar as orelhas" e já está)
- pôr a mesa ao jantar (e ao almoço aos fins-de-semana)
- manter o quarto arrumado
- deixar a sala arrumada antes de ir para a cama (inclui arrumar os brinquedos dele e da irmã, apanhar os papéis, etc)
Fizemos uma tabela com as tarefas e com os dias da semana e ele vai assinalando conforme vai cumprindo.
Por estas 4 tarefas pago-lhe 1 euro por dia, se falhar alguma não recebe e sou eu ou o pai a avaliar a arrumação. Parece pouca coisa, mas quem tem filhos pequenos sabe que manter o quarto e a sala livres de brinquedos é tarefa muito complicada. Não quero dizer com isto que os miúdos não podem brincar, muito pelo contrário, eles podem brincar e desarrumar o que quiserem desde que no fim arrumem.
Ele também propôs lavar a loiça, mas como tenho máquina de lavar loiça e o que lavo à mão geralmente são os tachos e as facas de cozinha, essa seria uma tarefa mais difícil de cumprir. Por isso é considerada um extra e nos dias que ele consegue lavar a loiça recebe mais 50 cêntimos.
Mas o meu menino é um espertalhão e ao fim de uma semana em que só conseguiu lavar uma vez a loiça, decidiu começar a arrumar a loiça lavada da máquina e a arrumar na máquina a loiça suja. Todos os dias tem recebido o extra! Só pela iniciativa, merece!
Entretanto conseguiu juntar 9 euros, uma fortuna para ele. No sábado fomos às compras e ele pediu-me para irmos outra vez à loja de brinquedos para comprar o brinquedo que ele queria desde a semana anterior. Quando lá chegou, viu que ainda não tinha dinheiro suficiente, mas como estava tão entusiasmado tinha que comprar alguma coisa. E escolheu uma caixa de Legos de 8 euros. Depois de pagar e ver que só ficava com 1 euro, é que ele viu o que acontece ao dinheiro. Ficou muito contente com os Legos, mas muito triste por não ter dinheiro outra vez.
Agora nem fala em ir comprar o que quer que seja e se me pede qualquer coisa e eu lhe digo que ele tem o dinheiro dele, diz logo que não pode gastar porque está a juntar para comprar "aquela" escavadora que está lá na loja e que custa mais de um mês de trabalho.

12 de junho de 2012

A malta gosta é de boas ideias

Estava aqui a dar uma espreitadela nos blogues que sigo e vejo esta ideia.
Mas porque nunca me lembrei disso? É que agora a tralha para a praia é a multiplicar por 2 gentes pequenas!
Este verão vai ser tão mais levezinho!!!

Às vezes é preciso que alguém sinta o problema na sua pele para o resolver. Porque enquanto são os outros a queixarem-se, o problema dura e dura e dura...
"Faz isto" ou "faz aquilo" e nada se resolve. Até que o problema o atinge e é nessa altura que essa pessoa toma a iniciativa de o resolver. Porque tem os conhecimentos, porque se o tivesse resolvido mais cedo ele não o atingiria.
Isto é tão verdade e aplica-se a  tantas situações...

5 de junho de 2012

Coisas de cantorias

Estamos numa festinha de aniversário e a Sara já está cansada e pede colinho. Eu pego nela ao colo e começo a cantar o "Cavalinho de papel", baixinho, ao ouvido dela, que sei que ela gosta.
"Mãe, não cantes que assustas as pessoas"
Ok, cantorias da mãe só em privado...

1 de junho de 2012

O bolo dos 7 anos do Daniel

Este ano o rapaz quis o Mickey. E a mãe fez.
(tem paciência, filho, sabes que a mãe não tem muito jeito para desenho)


E não é que ele adorou??!!

Também quis que o interior fosse diferente e misturei um pouco de corante alimentar, mas tive medo de exagerar e no fim, afinal, foi pouco .


A receita é a do bolo de vinagre, recheado com leite condensado cozido (o aniversariante não acha piada a cremes e fruta no bolo) e coberto com natas.

Um feliz dia da criança

para as nossas crianças e para a criança dentro de nós :)


Deu-me p'ra inventar

Já disse aqui que embirro com as etiquetas nas camisolas.
Um dia destes de manhã, a Sara quer a t-shirt rosa. A t-shirt rosa, nova, ainda tem a abençoada etiqueta. Lá vou eu tentar tirar a dita cuja, de x-acto na mão e, ao fim de muita luta, lá consegui. Mas ficaram 2 buracos no sítio onde o raio da linha estava.
Numa inspiração de momento, pego num retalho de tecido, recorto a flor e, com a ajuda da entretela de colar, dei um novo ar à t-shirt e escondi os buracos.
Ora a t-shirt, que era suposto ficar por baixo da camisola de mangas compridas, teve que ficar por cima, porque só assim se via a flor.

31 de maio de 2012

Se me ouvissem e prestassem atenção ao que digo, poupávamos muita chatice. Eu sei que tenho mau feitio e sou desconfiada, mas já levo muitos anos nisto e já desenvolvi um faro para aquilo que vai dar chatice. Mas não, é só eu dizer qualquer coisa e "lá está você!". Se me ouvissem no início, evitavam ter de ouvir agora "pois, 'táva-se mesmo a ver!".

30 de maio de 2012

Daqui a pouco vou dizer adeus às coisas dos meus pequenos. Berço e colchão, espreguiçadeira, carrinho, ovo, carrinho de passeio, cadeirinha para comer, cadeirinha para restaurante, biberões, esterilizador, aquecedor de biberões, lençóis, edredão, capa de edredão, protecção de berço, mantinhas e mais outras coisas que já não se usam lá em casa.
Vão para uma casa que em breve lhes vai dar uso.

24 de maio de 2012

Ontem, todas as chamadas que recebi e que percebi que era alguém a dar os parabéns ao Daniel, não atendi. Dei-lhe o telefone para ele atender. À noite, diz ele "é por isso que fico tão ansioso pelo dia dos meus anos. É só pessoas a telefonarem para mim!".


23 de maio de 2012

Há sete anos...


Daniel
4,075 gr
51 cm

Parabéns filhote, coisa mai rica da mãe


22 de maio de 2012

O não-bolo-de-aniversário

Este foi o bolo que fiz para o aniversário do meu sogro. Foi em Março, poucas semanas depois do falecimento da minha sogra. É claro que não havia muito espírito de festa, mas os netos (os meus filhos e as minhas sobrinhas) estavam entusiasmados. São crianças...
Por isso, fiz este bolo simples mas muito saboroso, servido como sobremesa de um jantar em família.
 


É a receita do Bolo de Vinagre que vem nas caixas de fécula de batata:

Ingredientes:
6 ovos
250 g de açúcar
200 g de fécula de batata
1 colher (de chá) de fermento em pó
1 colher (de sopa) de vinagre Branco

Preparação:
Bater as gemas com o açúcar até a massa ficar branca e solta.
Juntar a fécula de batata e o fermento em pó lentamente, batendo até desfazer tudo muito bem.
Juntar o vinagre e continuar a bater.
No fim bater as claras em castelo e juntar suavemente até estar tudo bem envolvido.
Untar uma forma e colocar a massa.
Deixe cozer em lume brando (200ºC) durante aproximadamente 40 minutos, verificando com um palito se já está cozido.

Recheei com natas e pêssego em calda e cobri apenas com as natas e umas missangas e raspas de chocolate. 

17 de maio de 2012

Actualização (caso alguém se interesse)

Não morri, não fugi, não emigrei. Ainda. Apenas ando sem paciência. E cansada, muito cansada. Deve ser falta de vitaminas ou ferro ou dormir. Também estou de férias. Tirei uns diazitos para aproveitar o feriado da terra que houve esta semana e pôr a casa em ordem. Mas ainda não consegui e isso dá-me cabo dos nervos. Para começar bem as férias, na 6ª feira a Sara ficou em casa da avó com febre. Não pude ficar com ela porque tinha que despachar serviço porque ia de férias. Resultado, o dia todo a receber chamadas da minha mãe a perguntar quando ia buscar a pequenita que só chamava por mim. E o chefe a exigir coisas que podiam bem esperar mas que ele só se lembrou porque eu ia de férias.
Fim de semana a tratar da febre, a dar miminhos, a lavar roupa, a começar a tentar arrumar coisas. Chega a 2ª feira, acorda o Daniel com febre (já se esperava, né?). O que vale é que estou de férias. Ficámos os 3 em casa. 3ª feira, feriado local, bom tempo, calor suficiente, sem carro (carro do marido está na oficina há séculos e ele usa o meu para ir trabalhar), ninguém tem febre, todos bem dispostos, vamos visitar os avós a pé. Ora, são cerca de 2km que eu faço em 20 minutos, mas com gente pequena e paragem no parque para ver os pombos, o cisne, os patos, comer um bolo de arroz, andar nos escorregas, conversar com pessoas conhecidas, demorámos 2 horas. Almocinho com os avós e regresso pelo mesmo caminho, desta vez com paragem para comer gelado, andar de escorrega, ver os pombos, o cisne, beber água no repuxo. E agora que toda a gente foi para a escola e para o trabalho, chegou a hora de ir fazer qualquer coisa do que tinha planeado. Mas estou tão cansada! E para ajudar, o chefe lembrou-se que tenho que fazer umas alterações nuns cálculos que ele me pediu para fazer antes de vir de férias. E como não respondi logo ao e-mail, já mandou a minha colega ligar-me. Qual foi a parte do "estou de férias" que ele não percebeu? Ainda por cima é para uma situação que já se arrasta e vai continuar a arrastar-se. Não pode esperar 2 dias até ao meu regresso?
É por isto tudo que estou cansada, não de corpo, mas de cabeça. E como a cabeça é que comanda o corpo, estou feita. Tenho que voltar aos suplementos de vitaminas, ou se calhar vou mas é passar o resto das férias a dormir.

3 de maio de 2012

Eu não fui ao Pingo Doce!

Mas tentei. Mas já fui tarde e havia muita confusão, nem saí do carro.
E o que me choca mais na confusão toda gerada por esta promoção, é ver que estamos a pagar muito mais do que devíamos. Se os supermercados podem fazer este tipo de ofertas, é porque ainda têm lucro. Não acredito que tenham feito isto para ter prejuízo!

Ok, são técnicas de gestão! E que foi uma campanha publicitária bem organizada, não haja dúvida! Se fossem pagar pelo espaço que já ocuparam nos jornais e na televisão e na rádio e nos blogs....
E se um dia houver mesmo falta de artigos e as pessoas tiverem que ir para as filas vai ser o bom e o bonito. Se por causa de uma promoção houve quem fosse agredido, nem quero imaginar...

28 de abril de 2012

Bolo de Batata com cobertura de chocolate

Este foi o bolo que fiz para o aniversário da minha cunhada, em Janeiro. Acho que ainda estou a tempo de mostrar!?.

A receita está aqui.
Para o recheio e cobertura derreti uma tablete de chocolate com leite condensado. Ficou muuuiito bom.

19 de abril de 2012

Parabéns Hélia



Hoje o blogue Mais um sobre Culinária faz 5 anos.
Parabéns amiga! Continua a inspirar-nos!

18 de abril de 2012

P'ró que me havia de dar!

Deu-me a fome! Não trouxe lanche! E o que faço agora? Vou ao café e compro um bolo, uma sandes, um pastel? Além de não me estar a apetecer gastar dinheiro, não me apetece nada disso.
Fui ao supermercado aqui perto, comprei uma embalagem de cereais, iogurtes líquidos (aproveitei a promoção), taças e colheres de plástico.
Além de me saber bem, já tenho lanche para uma data de dias!


As ferraduras do Dia do Pai

Uns dias antes do Dia do Pai, chego a casa da minha mãe e tinha lá uma revista que ela tinha comprado para mim com "uma receita mesmo boa para tu fazeres". Esperta...
Cresci com a minha mãe a fazer bolos, bolinhos, bolachas, mas agora com 80 anos diz que não tem paciência e como agora sou eu quem faz essas coisas, lembrou-se de me trazer a revista.
É a revista do Pingo Doce de Março e a receita é a das ferraduras de erva-doce.
Calhou mesmo bem porque eu queria dar ao meu pai uma coisa que ele gostasse e como ele é um guloso e adora ferraduras, fiz para ele.


Da próxima vez tenho que deixar tostar um pouco mais, mas já me disseram que posso continuar a fazer...

17 de abril de 2012

Hoje os jovenzitos foram para a cama mais tarde. Não é hábito, geralmente às 9 e meia já estão na cama, mas hoje o Daniel precisava fazer pesquisa para um trabalho de grupo. É sobre a Turquia e ao grupo dele compete pesquisar sobre a bandeira, a capital, a população, os monumentos da capital.
Antes do jantar ajudei um pouco (o arroz ficou colado ao fundo do tacho, mas não faz mal) e depois do jantar foi altura de passar para o caderno o resultado da pesquisa e imprimir algumas imagens. Não conseguimos fazer tudo porque o tempo é pouco e a escrita ainda demora, mas ele ficou tão contente com o resultado e por ter tido a minha ajuda, que nem reclamou, muito, quando o mandei lavar os dentes e ir para a cama. A irmã, por seu lado, não queria ir porque ainda não tinha pintado os desenhos todos do livro dela (se o irmão tem trabalhos de casa, ela também tem que ter). Mas foi só deitar a cabeça na almofada que adormeceu logo.
E eu aproveitei o computador ligado e vim até aqui cuscar um pouco.
Boa noite!

Prendinha de aniversário

Ontem foi um dia bom!! Além de outras coisas boas, recebi esta prenda da minha amiga. Vão lá espreitar e digam se não é uma óptima prenda!!
Hoje fiz isto para partilhar com os colegas!
E porquê tantas coisas boas, perguntam vocês?
Porque ontem fiz anos!!
Já são 39, mas continuo a entusiasmar-me como se fossem só 7 ou 8 ou 15 ou 20.
Neste dia sou sempre uma criança.
Parabéns para mim!

13 de abril de 2012

Nesta Páscoa houve tempo para:

fazer folares


fazer bolachinhas 



fazer coisas giras para oferecer


e, muito importante, estar com a família!

5 de abril de 2012

Boa Páscoa!!

Tão cedo não volto aqui, por isso deixo já os meus votos de uma Páscoa Feliz para todos.
Por mim vou ali fazer folares e coisas doces para oferecer.

3 de abril de 2012

Hoje lembrei-me disto - Crianças e escadas

Moro num 2º andar sem elevador. Como é o último andar do prédio, tem ligação interna para o sótão e por isso, quando nasceu o Daniel, resolvemos fazer obras e o sótão passou a ser o 2º piso da casa onde está o escritório e o quarto de passar a ferro, mais conhecido por quarto das desarrumações. Isto sem contar com as escadas que há à entrada do prédio. Pensa-se logo "que perigo com crianças pequenas!". E é um perigo, mesmo. Mas por outro lado pode ser uma vantagem. Uma vez na creche, numa reunião com a educadora do Daniel, ela referiu que só não conseguia avaliar se ele sabia subir escadas porque na creche não havia escadas. Ele tinha 3 anos na altura e eu respondi que sim, ele já subia escadas. É que desde cedo os meus filhos tiveram que aprender a subir e descer escadas com segurança. A partir do momento que conseguem andar sozinhos o que eles querem é... andar sozinhos. E subir e descer escadas. Claro que sempre os ajudamos a subir e descer quando queriam ou achavam que precisavam e isso ajudou-os a aprender a fazer sozinhos. Neste momento a Sara sobe e desce sozinha o que lhe dá uma liberdade e autonomia muito grande. Não tem que esperar que a mãe ou o pai estejam disponíveis quando se lembra de ir brincar lá para cima, ou quando chega lá e se lembra que precisa de alguma coisa "muito importante" que deixou cá em baixo, etc porque já se sabe como funcionam estas cabecinhas pequenas. E se vamos a algum sítio com escadas não entro em pânico com medo que ela (que é mais pequena) caia, porque sei que eles vão ter cuidado. Vigio (sempre) e aviso para não andar muito carregada, para se agarrar ao corrimão, para descer com segurança e ela compreende muito bem e faz. E o mesmo sempre aconteceu com o Daniel. Até à data ainda não houve acidentes, felizmente, mas sei que não estamos livres de acontecer. Antes das obras, eu própria caí das escadas abaixo (fiz o chamado sku que me deu uma semana com o retaguarda toda negra e sem conseguir sentá-la como deve ser), mas porque as escadas eram muito íngremes, de madeira e eu desci-as só de meias, com uma bacia numa mão e a falar ao telefone. Resultado: acidente. Garanto que não repeti!

9 de março de 2012

Coisas que gosto de fazer - VII - porta lenços



Ideais para colocar na mala, os lenços estão sempre protegidos.

8 de março de 2012

Bifanas no forno com molho delicioso da Sílvia (à minha maneira)

Encontrei esta receita há uns dias no blog da Sílvia "O que há pró jantar?". Disse logo que tinha que experimentar. E ontem foi dia de experiência!
 
 Fiz algumas pequenas alterações mas que não alteram o sentido da receita:

Bifanas
Fatias de fiambre (usei fiambre de peru)
Fatias de queijo
Cogumelos inteiros
Natas (usei natas vegetais)
Azeite
Manteiga
Batatas
Sal
Pimenta (não uso)
Alho
Vinho branco

Temperei as bifanas com o sal e o alho e deixei ganhar o gosto enquanto descascava as batatas. Em vez de as cozer, como sugere a Sílvia, cortei-as em gomos e fritei na Actifry com um pouco de azeite e ervas aromáticas.
Na frigideira coloquei um pouco de manteiga e azeite e deixei aquecer até a manteiga alourar um pouco. Fritei as bifanas mas sem deixar fritar demais para não secarem, retirei-as para um pirex e cobri-as com o fiambre e o queijo. No molho que ficou na frigideira, coloquei os cogumelos, o vinho e as natas. Assim que levantou fervura, retirei do lume e coloquei por cima do preparado que já estava no pirex.
Foi a gratinar um pouco no forno, enquanto as batatas acabavam de fritar e depois foi só servir e deliciarmo-nos com este prato tão simples e tão saboroso.

Obrigada, Sílvia!

É bom ser mulher!!

Apesar de às vezes desejar ser homem ou gato de estimação. Às vezes estou tão cansada, tão farta da correria em que vivo, das dificuldades que sinto por ser mulher, de aturar a prepotência de alguns homens, que nessas alturas só me apetece ser homem. Assim estaria de igual para igual e a minha opinião ou o meu trabalho seriam mais valorizados.
Mas isto sinto nos dias maus, nos dias em que tudo parece correr mal, em que toda a gente se lembrou de implicar. Há dias assim.
Mas depois há o oposto. Em que ser mulher é o melhor que há, uma dádiva, uma alegria completa.
Ser capaz de conciliar as 3 ou 4 vidas que vivemos por dia: ser mãe, esposa, filha, amiga, confidente, profissional, enfim uma infinidade de coisas diferentes numa pessoa só.
Chegar a casa e receber aquele abraço das coisas mais fofas, mais perfeitas, mais lindas que alguma vez fiz na vida e que me adoram porque sim. Receber o carinho do homem que escolhi e me escolheu para construir uma vida juntos.
Sentir que todo o trabalho que tenho em casa com as limpezas e arrumações e a cozinhar, vale a pena porque estou a cuidar de quem amo. Eu sou a responsável pelo bem estar deles. É uma grande responsabilidade, é uma trabalheira da qual só apetece fugir nos dias maus, mas que nos dias bons é uma alegria. É o meu pequeno mundo e nesse pequeno mundo eu tenho o meu lugar, eu conto. E se pensar bem, é isso que importa, é para isso que vivo esta vida agitada e que enfrento os dias maus. Porque os dias bons compensam tudo e ser mulher é muito bom, mesmo!
(gato de estimação também seria interessante! Ou não?!)

7 de março de 2012

Coisas que gosto de fazer - VI - ganchos de cabelo


Ganchos de cabelo para a minha princesa.

Delíiiiicia de chocolate

Ontem levei um bolito de chocolate para o trabalho. Tinha prometido a uma colega que nos anos dela lhe faria um bolo e só ontem consegui cumprir.
Como ela adora chocolate, resolvi experimentar a receita do livro base da Bimby "Delícia de chocolate".
Eu sei que não se deve experimentar uma receita quando se vai oferecer um bolo porque pode correr mal, mas felizmente correu bem, muito bem.
Fiz de manhã, entre vestir gente pequena, dar pequeno almoço e levar à carrinha (para a escola) e quando o cortamos, a meio da manhã, ainda estava morno.
A foto não faz justiça ao bolo, primeiro porque não tenho muito jeito e segundo porque a iluminação não é das melhores para tirar fotografias.
A receita:
250 gr de chocolate em barra (usei da marca Dia)
200 gr de açúcar
150 de manteiga
6 ovos
50 gr de farinha.

Primeiro liga-se o forno a 200ºC, para ir aquecendo enquanto se prepara a massa: coloque a borboleta na lâmina, deite as claras e programe 6 Min., Vel. 3. Retire para uma taça e reserve.
Retire a borboleta e deite no copo o açúcar, as gemas e a manteiga e programe 5 Min., Temp. 70º, Vel 4. Adicione o chocolate partidinho, espere um pouco que se funda e misture 20 Seg. Vel 5.
Adicione por fim a farinha e misture 10 Seg., Vel. 5. Volte a colocar a borboleta e envolva as claras na Vel. 2 1/2.
Deite numa forma de abrir e leve ao foro durante cerca de 10 Min. Logo que tenha crosta, retire do forno.
Quando estiver frio, enfeite com raspa de chocolate ou açúcar em pó.
Eu enfeitei com raspas de chocolate com o bolo ainda quente, porque foi mesmo retirar do forno e arrumar tudo para sair (levei dentro da forma) e por isso as raspas derreteram um pouco. No meio ficou um creme delicioso de chocolate e como ainda estava morno, huummm.
Eu devia ser mais modesta, mas estava tãaaaaooo bommm.
Não sobrou migalha!!

6 de março de 2012

Bolonhesa à minha maneira

Lá em casa todos gostam de carne picada, mas admito que não tinha encontrado ainda a receita que me agradasse.
Depois de muito procurar e experimentar, ontem decidi simplificar:
carne picada (usei de porco)
alho
azeite
polpa de tomate
vinho branco
1 caldo de frango
ervas aromáticas
sal
açúcar

Primeiro aqueci o azeite (cerca de 2 colheres de sopa) com o dente de alho picadinho. Coloquei a carne picada e deixei fritar um pouco, mexendo de vez em quando para ir alourando toda. Quando já estava mais ou menos toda com ar de já ter passado pelo azeite e estar a cozinhar, juntei o caldo de frango, um pouco de ervas aromáticas (uso a mistura das ervas de provença) e um pouco de vinho branco, cerca de meio copo ou um pouco mais (lembrem-se que a carne também larga água com a cozedura).
Deixei estufar mais um pouco e juntei a polpa de tomate. Neste caso a quantidade foi a olho (como tudo o resto) até eu achar que estava com boa cor, por isso é melhor colocarem a quantidade ao vosso gosto.
Deixei estufar mais um pouco, mexendo de vez em quando e provando, até sentir que estava pronto.
O meu problema costuma ser a acidez do tomate. Mesmo a polpa de compra deixa uma acidez que eu e o meu estômago não gostamos. Para cortar essa acidez nos guisados e estufados, costumo juntar cenoura. Mas como uma das queixas das minhas bolonhesas anteriores é a dita cenoura que nunca se desfaz completamente mesmo que tenha sido ralada, desta vez experimentei usar açúcar. Assim, no final da bolonhesa que aqui vos trago, depois de provar e sentir que estava pronta mas ainda se notava um travo de acidez do tomate, juntei 1 colher de chá, mal cheia, de açúcar. Mexi, provei e notei logo a diferença. Ficou um espectáculo e nem se notava o açúcar.
Aprovadíssima, passou na censura lá de casa.
Uma vez que usei o caldo de carne e as ervas aromáticas, o sal não foi necessário, mas isso é ao gosto de cada um.
Se experimentarem, depois digam qualquer coisinha, sim?

4 de março de 2012

Coisas que gosto de fazer - V - porta-lápis



Porta-lápis em feltro, prenda de outro Natal para outra menina linda.

Coisas que gosto de fazer - IV - carteirinha em feltro




Prenda de Natal para três meninas de 11 e 12 anos. Dá para colocarem o cartão da escola, dinheiro, o que quiserem. Pequenina, cabe bem no bolso das calças.

Coisas que gosto de fazer - III - capa para agenda

Fiz e já ofereci...

10 de fevereiro de 2012

Pediatra

Ora, se num dia fomos ao dentista, no dia seguinte fomos à pediatra. Em Novembro o Daniel teve uma otite com direito a tímpano perfurado e desde essa altura que temos andado a caminho da pediatra primeiro para tratar e depois para ver a evolução da recuperação. Felizmente reagiu bem ao tratamento e ontem fomos à doutora só para confirmar que está tudo bem e que o tímpano já está bom outra vez. Sim, está tudo bem com esse ouvido e cicatrizou muito bem e nem parece que estava como estava. Mas se esse ouvido está bom, o mesmo não se pode dizer do outro: está a começar uma otite, ainda não está instalada, mas já vem a caminho. Irra!
Mais antibiótico, mais gotas no nariz, água do mar, nebulizador e uma vacina para ver se é desta que se acaba com o raio das otites.
Tadinho do meu menino. Todo contente a pensar que voltava hoje para a natação, afinal ainda não foi desta. E de acordo com a médica, só lá para a primavera é que convém voltar. A não ser que se tenha os devidos cuidados ao sair da piscina, secar bem o cabelo (cortado a pente 3), esperar um pouco antes de sair para rua para o corpo se ambientar ao ar mais frio, agasalhar bem, usar o capuz da camisola ou do casaco em vez de gorro que tapa as orelhas (a minha pediatra é completamente contra os gorros que tapam as orelhas, porque diz que o calor faz acumular líquido nos ouvidos que depois dá origem às... otites).
Ora, se fossemos nós a acompanhá-lo à natação, seria mais fácil cumprir estas indicações. Mas ele vai pela escola e as educadoras por muito bem que os sequem e ajudem e tenham cuidado, e eu acredito que sim, também sei que é difícil ter todos os cuidados com tanta criança ao mesmo tempo.
Por isso, a natação vai ficar suspensa uns tempos e depois, logo se vê. Neste momento é mais importante tratar o que tem que ser tratado antes que piore.

9 de fevereiro de 2012

Dentista

Ontem foi dia de dentista para o Daniel. Consulta de rotina para ver como se estão a portar os dentinhos do meu menino. Ficámos a saber que estão 4 dentes a postos para cair e que não há cáries à vista. Diz o médico "o que quer que estejam a fazer lá em casa, continuem, porque não há sinal de cáries". Bem, o que fazemos lá em casa, é que sou eu a lavar os dentes aos dois. Na última consulta, o dentista já tinha prevenido que, até aos 11-12 anos, é melhor os pais supervisionarem a lavagem dos dentes das crianças, porque eles ainda não controlam os movimentos o suficiente para lavar os dentes como deve ser, principalmente os de trás. Ora depois do almoço, na escola, o Daniel lava os dentes sozinho, a Sara só terá essa "actividade" quando for para o jardim, e nessa altura com mais autonomia, já poderá lavar os dentes sozinha (imaginem 12 meninos pequeninos a querer ajuda para lavar os dentes ao mesmo tempo e só 2 educadoras, é o caos). De manhã, mesmo que eu insista, há sempre qualquer coisa para se fazer e como eu não os posso ajudar, arranjam sempre desculpas e não lavam os dentes. E assim, a rotina da noite passa por uns momentos de reunião na casa de banho, com a mãe a lavar os dentes aos dois, que no fim acabam de lavar sozinhos e à sua maneira.

2 de fevereiro de 2012

A mousse de chocolate do Daniel

O meu filho tem um livro da escola que tem receitas. Uma das receitas é mousse de chocolate e como todos gostam, experimentámos fazer um dia destes.
Muito fácil de fazer, eu "limitei-me" a ajudar:
Despeja-se 1 lata de leite condensado para um tacho, juntamente com uma tablete de chocolate meio-amargo partida em pedaços (usei da marca Dia). Vai mexendo enquanto aquece um pouco, o suficiente para derreter o chocolate. Pode fazer no microondas, mas no tacho tem mais piada quando o cozinheiro é o filhote.
Deixa arrefecer um pouco. Entretanto já bateu 3 claras em castelo com 3 colheres de sopa de açúcar que junta a seguir, envolvendo com cuidado.
Fica um mimo.

Sara ao telefone...

Sara entra no quarto, pega no telefone de brincar:
-Tou? Olá avó, como estás? Dói-te a "pena"? Ah, já estás "mioi"? Então, adeus.
(quando a fui buscar à casa dos avós, a minha mãe queixou-se que a aula de ginástica lhe tinha deixado os músculos das pernas doridos)

25 de janeiro de 2012

Coisas de mãe e filhos -II

Sara: Mãe, ajuda-me, não consigo "apitai" estes "botãos".
Eu: anda cá que eu ajudo-te a apertar os botões.
Sara: Botões?!?! (como quem diz "mas que raio de palavra inventaste agora?")

19 de janeiro de 2012

Coisas que gosto de fazer - ovo estrelado

E que tal um ovo estrelado para espetar alfinetes? Vi num blog esta ideia e achei tão simples de fazer!!
Esta é a minha versão:

A Sara tem tosse e tem que fazer "papois".
E faz sozinha e porta-se tão bem...


É na cozinha, porque a mãe está sempre na cozinha quando está em casa!

12 de janeiro de 2012

Coisas de mãe e filhos

Estamos os três sentados no sofá, eu no meio das minhas crianças, e diz o meu filho: "mãe, adoro-te. És a minha mãe preferida".
E diz a irmã: "também és a minha mãe pefeída".
Ai, coisas boas da mãe!

11 de janeiro de 2012

Hoje lembrei-me disto... (II)

Eu entro na ervanária e peço "1 caixa daquelas coisas que eu já comprei para a memória".
A funcionária: "ampolas?"
Eu: "sim, é isso mesmo"
A funcionária: "e quais são?"
Eu: "não me lembro"
A funcionária: "bem, parece que não estão a funcionar!"
E lá comprei outras ampolas porque aquelas não estavam a dar resultado.
Isto já aconteceu há alguns anos, mas ainda hoje é anedota cá em casa.

4 de janeiro de 2012

Desabafo

Quando é que os homens aprendem que não se deve fazer comentários às mulheres, que não as deles, sobre o aspecto físico? Nunca lhes ensinaram que é má educação? Quero lá saber se estou despenteada, se acham que estou gorda ou se a cor não me fica bem! Vão para casa dizer isso às mulheres deles!
Ora bolas!!
O problema é que a minha mãe ensinou-me a ser educada. Mesmo com as bestas!

Hoje lembrei-me disto...

Isto de ter um blogue é muito giro. É nosso, por isso escrevemos o que queremos, quem quer lê, quem quem quer segue, quem não gosta paciência. A única diferença entre um blogue e um diário é que o blogue pode ser público e acessivel a toda a gente. Mas, e falo por mim, andamos sempre a ver quantos seguidores temos, quantos comentários nos deixam, ficamos todas contentes quando vemos que somos lidas e tristes quando nos ignoram ou desistem de nós. Mas afinal quem queremos agradar? A nós ou aos outros? Gostaria muito de ter milhares de seguidores como outros blogues, mas isso é uma grande responsabilidade, pede muito tempo e muita dedicação e eu apenas quero partilhar algumas coisas que eu gosto. Tenho poucos seguidores (comparando com outros blogues), mas considero-os os melhores do mundo, porque me deram a honra de perder tempo a ler-me e decidiram que querem saber mais. Os que apenas me visitam de vez em quando também são os melhores do mundo, porque de vez em quando se lembram de passar pelo meu cantinho e ler os meus disparates. E os que me comentam (e dizem coisas simpáticas), esses então estão guardadinhos no meu coração.
Por isso vou continuar a escrever as minhas coisas, disparates e divagações como até aqui, de vez em quando espero conseguir partilhar histórias cá de casa, receitinhas rápidas e fáceis e saborosas e espero que continuem a visitar-me.

3 de janeiro de 2012

Ano novo, a mesma confusão...

Consegui entrar neste ano sem dar por ele. Todos os anos é assim, conto os minutos que faltam e quando chega a meia-noite estou distraída com alguma coisa. Mas o que interessa é que foi passada com saúde, amigos, boa disposição. Espero que o resto do ano continue assim.
Consegui ter uma moeda no bolso (tinha ido ao supermercado), esqueci-me das passas, não subi para cima de uma cadeira, ou seja, as tradições comigo não têm muita sorte.
Não vi o fogo de artifício mas as crianças rebentaram balões e divertiram-se a brincar na rua porque até nem estava frio.
Todos os anos tenho a paranóia de deixar tudo limpo e arrumado, mas não passa disso. Nunca consigo, há sempre alguma coisa que se mete no caminho e este ano, mais uma vez, ficou uma pilha de roupa para passar a ferro. Apesar de ter dado um jeito à casa durante a semana porque estive de férias, saí de casa na última noite do ano com uma casa em estado de sítio (com 2 crianças pequenas o que se espera?). Como estive a fazer coisas para levar para a passagem de ano, atrasei-me e não consegui lavar a louça.
Resumindo, comecei o ano a lavar louça, passar a ferro, e com uma indisposição (leia-se ressaca) danada.
Mas como disse no início, espero que o ano continue com saúde, amigos e boa disposição.
O resto logo se vê.
E estes são os meus votos para vocês também.