31 de maio de 2012

Se me ouvissem e prestassem atenção ao que digo, poupávamos muita chatice. Eu sei que tenho mau feitio e sou desconfiada, mas já levo muitos anos nisto e já desenvolvi um faro para aquilo que vai dar chatice. Mas não, é só eu dizer qualquer coisa e "lá está você!". Se me ouvissem no início, evitavam ter de ouvir agora "pois, 'táva-se mesmo a ver!".

30 de maio de 2012

Daqui a pouco vou dizer adeus às coisas dos meus pequenos. Berço e colchão, espreguiçadeira, carrinho, ovo, carrinho de passeio, cadeirinha para comer, cadeirinha para restaurante, biberões, esterilizador, aquecedor de biberões, lençóis, edredão, capa de edredão, protecção de berço, mantinhas e mais outras coisas que já não se usam lá em casa.
Vão para uma casa que em breve lhes vai dar uso.

24 de maio de 2012

Ontem, todas as chamadas que recebi e que percebi que era alguém a dar os parabéns ao Daniel, não atendi. Dei-lhe o telefone para ele atender. À noite, diz ele "é por isso que fico tão ansioso pelo dia dos meus anos. É só pessoas a telefonarem para mim!".


23 de maio de 2012

Há sete anos...


Daniel
4,075 gr
51 cm

Parabéns filhote, coisa mai rica da mãe


22 de maio de 2012

O não-bolo-de-aniversário

Este foi o bolo que fiz para o aniversário do meu sogro. Foi em Março, poucas semanas depois do falecimento da minha sogra. É claro que não havia muito espírito de festa, mas os netos (os meus filhos e as minhas sobrinhas) estavam entusiasmados. São crianças...
Por isso, fiz este bolo simples mas muito saboroso, servido como sobremesa de um jantar em família.
 


É a receita do Bolo de Vinagre que vem nas caixas de fécula de batata:

Ingredientes:
6 ovos
250 g de açúcar
200 g de fécula de batata
1 colher (de chá) de fermento em pó
1 colher (de sopa) de vinagre Branco

Preparação:
Bater as gemas com o açúcar até a massa ficar branca e solta.
Juntar a fécula de batata e o fermento em pó lentamente, batendo até desfazer tudo muito bem.
Juntar o vinagre e continuar a bater.
No fim bater as claras em castelo e juntar suavemente até estar tudo bem envolvido.
Untar uma forma e colocar a massa.
Deixe cozer em lume brando (200ºC) durante aproximadamente 40 minutos, verificando com um palito se já está cozido.

Recheei com natas e pêssego em calda e cobri apenas com as natas e umas missangas e raspas de chocolate. 

17 de maio de 2012

Actualização (caso alguém se interesse)

Não morri, não fugi, não emigrei. Ainda. Apenas ando sem paciência. E cansada, muito cansada. Deve ser falta de vitaminas ou ferro ou dormir. Também estou de férias. Tirei uns diazitos para aproveitar o feriado da terra que houve esta semana e pôr a casa em ordem. Mas ainda não consegui e isso dá-me cabo dos nervos. Para começar bem as férias, na 6ª feira a Sara ficou em casa da avó com febre. Não pude ficar com ela porque tinha que despachar serviço porque ia de férias. Resultado, o dia todo a receber chamadas da minha mãe a perguntar quando ia buscar a pequenita que só chamava por mim. E o chefe a exigir coisas que podiam bem esperar mas que ele só se lembrou porque eu ia de férias.
Fim de semana a tratar da febre, a dar miminhos, a lavar roupa, a começar a tentar arrumar coisas. Chega a 2ª feira, acorda o Daniel com febre (já se esperava, né?). O que vale é que estou de férias. Ficámos os 3 em casa. 3ª feira, feriado local, bom tempo, calor suficiente, sem carro (carro do marido está na oficina há séculos e ele usa o meu para ir trabalhar), ninguém tem febre, todos bem dispostos, vamos visitar os avós a pé. Ora, são cerca de 2km que eu faço em 20 minutos, mas com gente pequena e paragem no parque para ver os pombos, o cisne, os patos, comer um bolo de arroz, andar nos escorregas, conversar com pessoas conhecidas, demorámos 2 horas. Almocinho com os avós e regresso pelo mesmo caminho, desta vez com paragem para comer gelado, andar de escorrega, ver os pombos, o cisne, beber água no repuxo. E agora que toda a gente foi para a escola e para o trabalho, chegou a hora de ir fazer qualquer coisa do que tinha planeado. Mas estou tão cansada! E para ajudar, o chefe lembrou-se que tenho que fazer umas alterações nuns cálculos que ele me pediu para fazer antes de vir de férias. E como não respondi logo ao e-mail, já mandou a minha colega ligar-me. Qual foi a parte do "estou de férias" que ele não percebeu? Ainda por cima é para uma situação que já se arrasta e vai continuar a arrastar-se. Não pode esperar 2 dias até ao meu regresso?
É por isto tudo que estou cansada, não de corpo, mas de cabeça. E como a cabeça é que comanda o corpo, estou feita. Tenho que voltar aos suplementos de vitaminas, ou se calhar vou mas é passar o resto das férias a dormir.

3 de maio de 2012

Eu não fui ao Pingo Doce!

Mas tentei. Mas já fui tarde e havia muita confusão, nem saí do carro.
E o que me choca mais na confusão toda gerada por esta promoção, é ver que estamos a pagar muito mais do que devíamos. Se os supermercados podem fazer este tipo de ofertas, é porque ainda têm lucro. Não acredito que tenham feito isto para ter prejuízo!

Ok, são técnicas de gestão! E que foi uma campanha publicitária bem organizada, não haja dúvida! Se fossem pagar pelo espaço que já ocuparam nos jornais e na televisão e na rádio e nos blogs....
E se um dia houver mesmo falta de artigos e as pessoas tiverem que ir para as filas vai ser o bom e o bonito. Se por causa de uma promoção houve quem fosse agredido, nem quero imaginar...