29 de maio de 2013

Ainda bem que não posso ir...

Estou aqui a "passear" pela net e a ver coisas giras e interessantes e que eu quero, enfim. E vou dizendo ao meu marido "olha, quando fores à Cash Converters (loja de artigos em 2ª mão) vê se encontras isto, quando vires aquilo diz-me o preço,..". Isto porque ele trabalha em Lisboa e todos os dias tem possibilidade de passar em vários sítios muito interessantes para mim, que não vou lá com a frequência dos meus desejos. Mas depois penso que até é melhor assim, senão seria a desgraça completa. Porque, se por um lado a possibilidade de ter as coisas que quero a um preço mais baixo é muito aliciante, por outro começo a pensar se preciso mesmo, depois chego à conclusão que não preciso, mas fico a pensar que era giro ter. O que me salva é ser poupadinha (há quem chame forreta, agarrada, sovina) e quero as coisas mas não abro os cordões à bolsa. E além disso o meu marido está a olhar para o Discovery e não me liga nenhuma.

Coisas que me acontecem e que acho interessante partilhar - II

Como o meu marido trabalha a recibo verde, tinha que entregar o IRS até ao fim deste mês. Ontem, finalmente, fiz a entrega pela net. Entre esquecer e não me lembrar quase acabava o prazo. E hoje (não podia ser de outra maneira) fiquei a saber que deveria ter entregue também o anexo SS. Podem ler a notícia aqui. Esse anexo vem substituir uma declaração que, no ano passado, os trabalhadores independentes tiveram que preencher no site da Segurança Social. Este ano resolveram juntá-lo ao IRS mas não avisaram ninguém. Ok, parece que nas repartições há uns avisos afixados. Mas fiquem descansados que se não o entregarem, não há problema, a Segurança Social entrará em contacto com os faltosos para que forneçam essa informação (!!). Claro que haverá uma coimazita entre os 50 e os 250 euros, coisa pouca... E pronto, logo lá vou entregar uma declaração de substituição. Ainda estou dentro do prazo mas espero que não haja problemas com isso...
Fiquem bem :)

27 de maio de 2013

Coisas que me acontecem e que acho interessante partilhar...

1- Na passada 6ª feira fui ao Lidl. Coloquei a moeda no carrinho, fiz as compras, paguei e fui para o parque de estacionamento arrumar as compras no carro. Assim que chego ao carro, aparece uma mulher que costuma andar por lá a pedir esmola. Começa a pedir isto e aquilo e eu a dizer que não e ela a insistir, enfim, já devem conhecer a rotina. Não costumo dar esmola, nem moedinha aos arrumadores. Há situações em que prefiro pagar uma sopa ou uma sandes porque vêm ter comigo e dizem que têm fome. Mas esmola não costumo dar. Ainda para mais quando é para o vício ou para o chulo. Aquela não tinha fome até porque queria que eu lhe desse uma garrafa de champanhe! Arrumei as compras sempre atenta a ver se ela não deitava a mão a nada e fui arrumar o carrinho. Quando enfio o cadeado... onde está a moeda? Não está lá, não caiu. Fico feita tonta a olhar para o carro e para o chão e a pensar onde raio estará a moeda! Vem o segurança e pergunta-me se eu não a tinha tirado já. "Não". "Então alguém tirou", diz ele. "Como??" Pergunto eu. "Ah as moedas saem bem, é só puxar. As romenas é que costumam fazer isso. Andava aí uma há bocado". E eu "Ok, então foi isso! Ela andou ali à minha volta e deve ter-se aproveitado enquanto eu arrumava as compras". De volta ao estacionamento, nem sombra dela. Pudera.
Meu conselho: no supermercado, se conseguirem tirem logo a moeda do carrinho. Quanto mim, a lição custou-me um euro.

2- Hoje fui a Lisboa, com a minha filha, para uma consulta. Geralmente vou de autocarro e venho com o meu marido que tem que lá ir todos os dias porque trabalha lá e assim vai-nos buscar no fim da consulta. Mas como a consulta de hoje foi de manhã, fizemos as coisas ao contrário, fomos com ele e viemos de autocarro. Como ia com a minha filha, meti-me num táxi no fim da consulta porque perder-me sozinha no metro é uma coisa, com a miúda é outra. Falta de hábito, é o que é. Como dizia, meti-me num táxi e pedi para me levar ao Campo Grande para apanhar a Rápida da Rodoviária, confiante (dah) que o senhor motorista me deixaria no sítio certo ou perto. Uma coisa interessante é que o terminal das chegadas é "dentro" do recinto. Mas as partidas, pelo menos da Rápida da Rodoviária, são fora do recinto, do outro lado da estrada, enfim uma confusão. Ok, deixou-me na zona das chegadas com a desculpa que não sabia onde eram as partidas. Para pagar 4,25 eur, (pois, de metro é mais barato) dei uma nota de 10 eur mais 25 cêntimos em moedas e pedi factura. Ele dá-me de troco 5 eur e a factura. E eu a ver que o euro estava a ficar esquecido, perguntei "então não são 4 euros?". "Olha, pus aqui o troco e já ficava a moeda". Espertalhão!
Como disse antes, o senhor deixou-me na zona das chegadas. E agora para que lado é? O meu marido bem tinha explicado o caminho, mas para quem conhece é fácil, agora eu que sou uma naba completa, enfim...Quem tem boca vai a Roma e lá descobri para onde tinha que ir. Depois de estar dentro do autocarro com a minha piquena, comecei a juntar as peças: 1º- o "senhor" deve usar a técnica do esquecimento do troco muitas vezes, algumas vezes deve ter sorte. 2º - Como percebeu que eu não sabia onde era o terminal das partidas, para quê dar uma volta tão grande sem perspectivas de arranjar novo serviço? Assim, deixou-me num sítio que para ele era mais jeitoso para arranjar novos clientes e eu que me arranjasse. E assim se presta um "belo" serviço ao cliente! 3º - Por que raio é que a bilheteira da Rodoviária está ao pé das outras bilheteiras, "dentro" do recinto, se os bilhetes se compram na "camioneta" que está parada p'raí a 300 mts fora do recinto? 4º -Da próxima vez presto mais atenção às explicações do meu marido!

23 de maio de 2013

Hoje o meu filho faz anos e é dia de festa!!


E já se passaram 8 anos. Cada vez que olho para ele fico admirada como o tempo passa. Está um homenzinho, desenrascado, despachado, prestável, independente. E feliz. Espero que continue assim.



16 de maio de 2013

Ainda a propósito do dia da Mãe

Encontrei este texto no blogue Criar com Tecidos, um blogue que sigo e que tem ideias muito giras para fazer, lá está, com tecidos.
É um ponto de vista bem realista sobre o que é ser mãe.

 "“MÃE É MÃE: mentira !!!
Mãe foi mãe, mas já faz um tempão!
Agora mãe é um monte de coisas: é atleta, atriz, é superstar.
Mãe agora é pediatra, psicóloga, motorista.
Também é cozinheira e lavadeira.
Pode ser política, até ditadora, não tem outro jeito.
Mãe às vezes também é pai.
Sustenta a casa, toma conta de tudo, está jogando um bolão.
Mãe pode ser irmã: empresta roupa, vai a shows de rock pra desespero de algumas filhas, entra na briga por um namorado.
Mãe é avó (oba, esse é o meu departamento!): moderníssima, antenadíssima, não fica mais em cadeira de balanço, se quiser também namora, trabalha, adora dançar.
Mãe pode ser destaque de escola de samba, guarda de trânsito, campeã de aeróbica, mergulhadora.
Só não é santa, a não ser que você acredite em milagres.
Mãe já foi mãe, agora é mãe também.

MÃE É UMA SÓ: mentira !!!
Sabe por quê?
Claro que sabe!
Toda criança tem uma avó que participa, dá colo, está lá quando é preciso.
De certa forma, tem duas mães.
Tem aquela moça, a babá, que mima, brinca, cuida.
Uma mãe de reserva, que fica no banco, mas tem seus dias de titular.
E outras mulheres que prestam uma ajuda valiosa.
Uma médica que salva uma vida, uma fisioterapeuta que corrige uma deficiência, uma advogada que liberta um inocente, todas são um pouco mães.
Até a maga do feminismo, Camille Paglia, que só conheceu instinto maternal por fotografia, admitiu uma vez que lecionar não deixa de ser uma forma de exercer a maternidade.
O certo então, seria dizer: mãe, todos têm pelo menos uma.

SER MÃE é PADECER NO PARAÍSO: mentira!
Que paraíso, cara-pálida?
Paraíso é o Taiti, paraíso é a Grécia, é Bora-Bora, onde crianças não entram.
Cara, estamos falando da vida real, que é ótima muitas vezes, e aborrecida outras tantas, vamos combinar.
Quanto a padecer, é bobagem.
Tem coisas muito piores do que acordar de madrugada no inverno pra amamentar o bebê, trocar a fralda e fazer arrotar.
Por exemplo?
Ficar de madrugada esperando o filho ou filha adolescente voltar da festa na casa de um amigo que você nunca ouviu falar, num sítio que
você não tem a mínima idéia de onde fica.
Aí a barra é pesada, pode crer…


MATERNIDADE é A MISSÃO DE TODA MULHER: mentira !!!
Maternidade não é serviço militar obrigatório!
Como já disse o Vinicius: filhos, melhor não tê-los, mas se não tê-los, como sabê-los?
Vinicius era homem e tinha as mesmas dúvidas.
Não tê-los não é o problema, o problema é descartar essa experiência.
Como eu preferi não deixar nada pendente pra a próxima encarnação, vivi e estou vivendo tudo o que eu acho que vale a pena nesta vida mesmo, que é pequena mas tem bastante espaço.
Mas acredito piamente que uma mulher pode perfeitamente ser feliz sem filhos, assim como uma mãe padrão, dessas que têm umas seis crianças na barra da saia, pode ser feliz sem nunca ter conhecido Paris, sem nunca ter mergulhado no Caribe, sem nunca ter lido um poema de Fernando Pessoa.
É difícil, mas acontece.

MAMÃE, EU QUERO: verdade!
Você pode não querer ser uma, mas não conheço ninguém que não queira a sua.”
Esse texto foi escrito por alguém. Mas por quem? Está na Internet sem os créditos. Se você for o autor dessa maravilha, entre em contato para que eu possa ter a satisfação de mencionar você aqui."

9 de maio de 2013

Dia da Espiga

Hoje é dia da espiga e lembro-me de, em criança, adorar ir à espiga. Morava no campo nessa altura. Depois vim morar para a cidade e como não tinha meios para ir aos arredores, perdi essa ligação. Mas desde que os meus filhos foram para a creche, começaram a ir à espiga com os colegas e voltou o bichinho de ir ao campo apanhar o raminho.
É pena hoje estar farrusco, não sei se conseguem ir apanhar a espiga, pela escola, mas no sábado, se estiver bom tempo, lá vamos nós.
Por isso, se alguém quiser ir à espiga, o ramo é composto por:
trigo - representa o pão
malmequer branco - prata
malmequer amarelo - ouro
papoila - amor, vida (por causa do vermelho sangue)
ramo de oliveira - paz
videira - alegria (vinho ;) )
alecrim - saúde


Este ramo deve ser pendurado atrás da porta da entrada para atrair só coisas boas e deve ser substituído no ano seguinte pelo ramo novo.
Penso não me ter esquecido de nada.
Bom dia da Espiga!!

8 de maio de 2013

Ainda as princesas...

À noite, em casa, diz-me a minha filha:
"Olha mãe, afinal quero um bolo das princesas porque eu sou uma princesa"

O que vale é que é só em Junho, até lá ainda pensamos noutra coisa qualquer...

Por agora temos o aniversário do mano daqui a 2 semanas.

7 de maio de 2013

Coisas de princesas

Conversa com a minha filha que vai fazer 4 anos:
-"Então, filhota, queres um bolo das princesas para os teus anos"

-" Não, quero um bolo "monster high"!"


Pronto, agora as princesas são outras...